Literatura

LITERATURA – Adélia Prado – Com licença poética

LITERATURA – Adélia Prado – Com licença poética

Adélia Prado Com licença poética Adélia Prado Quando nasci um anjo esbelto, desses que tocam trombeta, anunciou: vai carregar bandeira. Cargo muito pesado pra mulher, esta espécie ainda envergonhada. Aceito os subterfúgios que me cabem, sem precisar mentir. Não sou feia que não possa casar, acho o Rio de Janeiro uma beleza e ora sim, […]

Um poema de amor com a marca de Aurélio Buarque de Holanda, que entendia as palavras

Um poema de amor com a marca de Aurélio Buarque de Holanda, que entendia as palavras

Aurélio Buarque de Holanda, além de tudo, era poeta O crítico literário, lexicógrafo, filólogo, professor, tradutor e ensaísta alagoano, Aurélio Buarque de Holanda (1910-1989), também usou as palavras para nos brindar com este belo soneto “Amar-te”.        AMAR-TE Aurélio Buarque de Holanda Amar-te – não por gozo da vaidade, Não movido de orgulho ou de […]

Alta fantasia! Livros de George Martin, que inspiraram a série “Guerra dos Tronos”, são imperdíveis

Alta fantasia! Livros de George Martin, que inspiraram a série “Guerra dos Tronos”, são imperdíveis

George Martin promete mais dois livros para completar a série Júlia de Aquino Instagram literário @juentreestantes Na última década, o nome “George Martin” se tornou mais forte e conhecido, tanto no país como em todo o mundo. E muito desse sucesso tem origem na série da HBO, Guerra dos Tronos, lançada em 2011. E apesar de […]

LITERATURA –  Fernando Pessoa – Grandes

LITERATURA – Fernando Pessoa – Grandes

Fernando Pessoa Grandes Fernando Pessoa   Grandes são os desertos, e tudo é deserto. Não são algumas toneladas de pedras ou tijolos ao alto Que disfarçam o solo, o tal solo que é tudo. Grandes são os desertos e as almas desertas e grandes Desertas porque não passa por elas senão elas mesmas, Grandes porque […]

Os intelectuais são do bem? – Luiz Felipe Pondé

Os intelectuais são do bem? – Luiz Felipe Pondé

   Tenho me perguntado uma coisa há algum tempo, e o leitor que me acompanha sabe disso. A pergunta que me atormenta é: por que nós intelectuais achamos que somos do bem? Explico meu estranhamento. Intelectuais são pessoas normais e, portanto, movem-se por interesses que nem sempre podem ser confessados em voz alta. Por exemplo: […]

Uma discreta folha de parreira, para cobrir o olhar da amada do poeta Artur Azevedo

Uma discreta folha de parreira, para cobrir o olhar da amada do poeta Artur Azevedo

Artur Azevedo, um grande dramaturgo e poeta O dramaturgo, jornalista, contista e poeta maranhense Artur Nabantino Gonçalves de Azevedo (1855-1908) sustenta que “Por Decoro”, os olhos do seu amor, quando expostos publicamente, deveriam estar cobertos por uma discreta folha de parreira. POR DECORO Artur Azevedo Quando me esperas, palpitando amores, e os lábios grossos e […]

Lilia Schwarcz participa de mesas literárias pré-FLIP 2020

Lilia Schwarcz participa de mesas literárias pré-FLIP 2020

Programação em 18 e 20 de novembro será transmitida via Youtube e aberta ao público Antropóloga e escritora Lilia Moritz Schwarcz – Foto: Renato Parada/ Divulgação Em paralelo a Festa Literária Internacional de Paraty, a EDP, empresa que atua em toda a cadeia do setor elétrico, realiza a FLIP + na EDP, uma programação alternativa composta por […]

LITERATURA – O velho e a flor – Vinicius de Moraes

LITERATURA – O velho e a flor – Vinicius de Moraes

Vinicius de Moraes O velho e a flor Vinicius de Moraes Por céus e mares eu andei, Vi um poeta e vi um rei Na esperança de saber O que é o amor. Ninguém sabia me dizer, Eu já queria até morrer Quando um velhinho Com uma flor assim falou: O amor é o carinho, […]

LITERATURA – Fernando Pessoa – Acordar

LITERATURA – Fernando Pessoa – Acordar

Fernando Pessoa Acordar Fernando Pessoa Acordar da cidade de Lisboa, mais tarde do que as outras, Acordar da Rua do Ouro, Acordar do Rocio, às portas dos cafés, Acordar E no meio de tudo a gare, que nunca dorme, Como um coração que tem que pulsar através da vigília e do sono. Toda a manhã […]

 LITERATURA – Joaquim Cardozo -O Relógio

 LITERATURA – Joaquim Cardozo -O Relógio

 Joaquim Cardozo O Relógio  Joaquim Cardozo Quem é que sobe as escadas Batendo o liso degrau? Marcando o surdo compasso Com uma perna de pau? Quem é que tosse baixinho Na penumbra da ante-sala? Por que resmunga sozinho? Por que não cospe e não fala? Por que dois vermes sombrios Passando na face morta? E […]