A história, o antes e o depois . Por Francisco Dacal 

Por FRANCISCO DACAL – Escritor e administrador de empresas

    Foram abertos, no mundo, diversos painéis de discussões, multidisciplinares, sobre como será o comportamento das sociedades e das relações internacionais a partir da pandemia da Covid-19, que nos assola. São intensas as razões para isto. Estamos refém das consequências do maldito vírus, direta e indiretamente. Não tem exclusão. Mais uma vez, na história, um fato de peso exorbitante atinge a humanidade como um freio, quem sabe a dizer: Parem a caminhada e repensem tudo. Priorizem o humano e respeitem os reais valores. Sejam pragmáticos. Exterminem a demagogia. Unam-se e lutem pela paz.

    Como em outras impactantes passagens, limites surgirão sobre o antes e o depois do acontecimento em evidência – agora no ápice do desenvolvimento científico, tecnológico, industrial, material e teórico. Novos hábitos e regras protocolares deverão modular a vida, pessoal e profissional, em todos os âmbitos, inclusive entre as nações. Viver passará a ser um desafio coletivo, se rotineiro ou intermitente ainda não sabemos.            

    Atualmente, quase não se fala ou se escreve outra coisa que não seja sobre o presente caos sanitário, todavia não podemos deixar de registrar que há pouco mais de três meses ocorreu, no Recife, um evento cujos protagonistas homenageados, cinco séculos atrás, estabeleceram um fundamental antes e depois, como no momento está se construindo. Tal efeméride antecedeu em dias a determinação das primeiras medidas de isolamento social para combater o coronavírus. O fato é que… O Recife foi uma das duas cidades brasileiras incluídas, a outra foi a do Rio de Janeiro, no roteiro oficial de comemoração dos 500 Anos da 1ª Volta ao Mundo, liderada pelo navegador português Fernando de Magalhães, sob os auspícios da Coroa espanhola, e, no trajeto de volta pelo Oceano Pacífico, após a morte deste, combatendo nativos das Filipinas, concluída por Juan Sebastián Elcano, navegador hispânico.

    Há quem considere o desafio da circunavegação como a maior odisseia da humanidade, em todos os tempos. Stefan Zweig, no livro Magallanes, El hombre e sua gesta, escreveu que esta aventura “foi talvez a viajem marítima mais terrível e cheia de privações que registra a eterna crônica da dor humana, e da humana capacidade de sofrimento que chamamos história”.

    Estariam indo para o nada?. A incredulidade era geral, mas não para o comandante Magalhães, um visionário. No dia 10 de agosto de 1519, cinco naus desfraldaram as velas, San Antônio, Victoria, Santiago, Concepción e Trindad, e seguiram pelo Rio Guadalquivir em direção ao Oceano Atlântico em busca do objetivo traçado de chegar às Ilhas Moluscas (hoje Indonésia) pelo ocidente, a grande produtora de especiarias, a fim de abrir uma rota comercial própria. Na frota, 237 tripulantes, marinos aventureiros, com os destinos nas mãos de Deus; dentre eles, como relator de viagem, o italiano Antonio Pigafetta.

    Depois de atravessarem o Oceano Atlântico, explorando diversas partes, no dia 21 de outubro de 1520 adentraram no que hoje é o conhecido estreito de Magalhães, no extremo sul do continente. Foi a pior fase, navegando, por 600 quilômetros, num ambiente sombrio, em águas profundas, com correntezas, tempestades e rochas, além de enfrentar motins e mortes, acidentais e por doenças. Após alguns meses em condições aterrorizadoras, por fim encontram a ligação com o oceano a quem Magalhães denominou de Pacífico, sendo o primeiro a cruzá-lo, com muitas descobertas e legados.

    No dia 8 de setembro de 1522, após três anos, chega de volta a Sevilha a nau Victoria, comandada por Elcano, com apenas 18 homens frágeis e famintos, carregada de cravo, canela, noz moscada e gengibre, a única, das cinco, o que restou da grandiosa aventura por 42.000 milhas marítimas. Pigafetta registrou no final de seu diário: “A fama de Magalhães será eterna”.

    Em homenagem a este feito, atracou no Porto do Recife, na quarta-feira do dia 30 de janeiro último, o navio escola da Armada espanhola Juan Sebastián Elcano, que logo recebeu a bordo o governador de Pernambuco, Paulo Câmara – deu as boas vindas à tripulação. À noite houve uma recepção na nave, onde o Comandante do Navio-Escola, Santiago de Costa Truebas, e o Embaixador da Espanha no Brasil, Fernando García Casas, falaram do significado da circunavegação para o mundo… A Terra não foi mais a mesma.   

MÚSICA – Zé Ramalho – Vida de Gado

MÚSICA

Zé Ramalho – Vida de Gado

Filhos de *** asterisco implantam ditadura. Por José Adalbertovsky Ribeiro

comentarista  Por  Jose Adalbertovsky Ribeiro  – Jornalista e escritor

MONTANHAS DA JAQUEIRA – Hoje eu tô invocado. Incorporei o espírito da reunião ministerial em Brasília.

O jornal O Globo contou, como parte do jornalismo investigativo, 42 palavrões cabeludos e de grosso calibre durante a reunião do presidente da República no Palácio do Planalto e na Esplanada dos Monastérios. O Capitão disse que alguns prefeitos filhos de *** asteriscos estão implantado uma ditadura no Brazil. Prefeitos e governadores estrumes querem ver a hemorroida do governo.

As mulheres do grelo duro e os marmanjos do sexo flex da seita vermelha e derivados ficaram horrorizados com os *** asteriscos. Audácia do bofe, disseram.  Só não ficavam horrorizados com as peças financiadas pela Lei Roaunet em que os andróginos chamavam, sem asteriscos, Jesus Cristo de gay. Diziam que era apenas liberdade de expressão.

Seria ótimo se o jornalismo investigativo de O Globo pesquisasse os decretos de dispensa de licitação, os superfaturamentos e a farra de centenas de milhões de reais dos cofres públicos em nome da pandemia. Que tal investigar a pandemia de corrupção nas prefeituras e governos de Estado de todo o País?!

Falar asteriscos e palavrões é o de menos. Sempre com palavras amáveis, os goelas estão esfolando o coração do Brazil, para não usar outra palavra do vocabulário presidencial.

Exemplo: o prefeito de uma cidade lendária editou um decreto para contratações sem licitação de bens e serviços contendo R$ 650 milhões de palavrões e asteriscos socialistas. Somente em referência a respiradores veterinários, havia R$ 11,5 milhões de asteriscos cabeludos. E mais, lançou o IPTU do futuro com 2021 palavrões.

A Polícia Federal deu um baculejo na prefeitura da cidade lendária para saber dos contratos sem licitação de centos milhões de reais. Bonito pra você, prefeito!

Quando eu encontrar com tal prefeito numa esquina da vida ou nas montanhas da Jaqueira eu direi a ele: “Seu Julho, com todo respeito, você é um síndico, aliás, você é um cínico, aliás, você é um asterisco”.

O maior palavrão do ano foi dito pelo bode rouco corrupto, semianalfabeto e demagogo ao celebrar a criação do maldito vírus comunista chinês. O bode rouco é um #]***¨¨’(_¨:;; Entendeu?!

Sabemos que o objetivo da Tv Globo é *** a vida do Capitão do governo. O padrão de qualidade global é baseado nas surubas das novelas e do Big Brother, teleaulas sobre trairagem, roubalheira, bandidagem, mudanças de sexo, pilantragem, fuleragens em geral. Atores, atrizes, apresentadores e estrelas globais são criaturas virtuosas que usam cintos de castidade e jamais pronunciam asteriscos.

VÍDEO: O CHÁ DO SECRETÁRIO DE SAÚDE DE BELO JARDIM PODE ESTÁ SE COANDO

Belo Jardim: Secretário sugere chá para combate à Covid

Uriel Campelo, secretário de Saúde de Belo Jardim, realizou uma live, no último sábado, sobre ações e aspectos relacionados ao combate ao coronavírus em Belo Jardim. Mais uma vez, não foi informado à população sobre dados pertinentes de interesse público, como idade, sexo, se havia comorbidades dos novos casos, estado de saúde ou o tipo de tratamento.

Entretanto, pediu que as pessoas monitorem sua condição física e sintomas de doenças e fiquem em casa. “Eu preciso da ajuda de Belo Jardim, eu preciso da ajuda dos distritos, o monitoramento de vocês mesmos. Pessoas que quando estão sentindo sintomas, perda de paladar garganta inflamada, se monitorar também”, pediu o secretário.

Além disso, ele sugeriu que a população de Belo Jardim tome chá como forma de prevenção e tratamento do Coronavírus e outras viroses que surgem no inverno. “Existem as medicações que se deve tomar. Eu mesmo tenho tomado muito o chá de limão com alho bem quentinho pela manhã e eu percebo que sai limpando tudo aqui na garganta que é onde o vírus gosta de se alojar, né? Eu tenho tomado muito isso aí”, confidenciou o secretário

Como não bastasse, Uriel ainda deu a receita do chá: “Aquela cabeça de alho você coloca na água. No outro dia você ferve, coloca o limão, um pouquinho de mel e toma bem quentinho e você vai ver que vai melhorar muito alguns sintomas até de gripes, até de garganta arranhando, que pode achar que é Covid, mas não é não. As vezes são viroses”.

Sobre a receita de Uriel Campelo, o Ministério da Saúde alerta e pede para que ela não seja compartilhada. “Até o momento, não há nenhum medicamento, substância, vitamina, alimento específico ou vacina que possa prevenir a infecção pelo coronavírus (Covid-19)”.

Secretário de Saúde de Belo Jardim Uriel Campelo faz comunicado oficial sobre a confirmação do primeiro caso de CORONA VÍRUS (COVID-19) em um Belo-jardinense.

Posted by Agrestv PE on Monday, March 16, 2020

Mendonça: Respirador sem aval é brincar com vidas

O cancelamento da compra de respiradores pulmonares pela Prefeitura do Recife a uma pequena empresa veterinária com suspeita de fraude levou o ex-ministro Mendonça Filho a protocolar, hoje, no Ministério Público Federal, na Controladoria Geral da União e no Tribunal de Contas da União, ao Ministério Público Estadual e ao TCE, um aditivo à denúncia feita por ele na semana passada. “O parecer técnico da Prefeitura do Recife para encerrar em tempo recorde o contrato e justificar a devolução de 35 dos 500 equipamentos comprados é um escárnio. Só depois de comprar sem licitação 500 respiradores a uma empresa veterinária, a Prefeitura admite que os equipamentos não tinham homologação da Anvisa, não foram testados em humanos e não foram usados por serem mecânicos. Isso é brincar com a vida das pessoas”, criticou Mendonça.

No aditivo à denúncia junto aos órgãos de controle e fiscalização federal e estadual, Mendonça questiona o fato de o cancelamento da compra de respiradores pulmonares ter sido feita em tempo recorde. “Em menos de 24 horas, um e-mail foi enviado pela empresa Juvanete Barreto Freire para o secretário de saúde do Recife, gerou formação de processo físico, tramitou na Secretaria de Saúde, passou pela Procuradoria Municipal, foi analisada por três procuradores, voltou para a Secretaria de Saúde, fizeram o distrato e a devolveram 35 ventiladores pulmonares ao representante da empresa no Recife”, relata do aditivo.

Nessa maratona para cancelar o contrato denunciado pelo Ministério Público de Contas, que solicitou auditoria especial por suspeita de fraude, lavagem de dinheiro e peculato, a Prefeitura do Recife emitiu um parecer técnico assinado pela Gerência de Monitoramento e infraestrutura da Secretaria Municipal de saúde do Recife pela devolução dos respiradores. Neste parecer, a PCR admite que os respiradores pulmonares comprados sem licitação, no valor de R$ 11 milhões, não têm homologação da Anvisa e não foram testados em humanos. “O prefeito Geraldo Júlio tem que vir a público explicar esse processo nebuloso. Na tentativa de se livrar de investigações, a Prefeitura cancelou o contrato com parecer justificando que a aquisição de respiradores feita a outras empresas já atendem à demanda dos leitos de UTI. Como assim?  Mais de 200 leitos de UTI inaugurados pelo prefeito continuam fechados por falta de equipamentos como respirador. E a fila de espera por leito de UTI é enorme”, destacou.

Mendonça Filho denunciou o contrato com a Juvanete Barreto Freire nas suas redes sociais, na semana passada, e fez denúncia aos órgãos de controle e fiscalização. Segundo ele, essa compra despertou estranheza pelo perfil da empresa – capital social muito pequeno de apenas R$ 50 mil, criada há sete meses e o comércio de produto veterinário como atividade principal – e o gritante desencontro de informações nos sites da Prefeitura do Recife, como valores diferentes, contratos com páginas faltando.

Jaboatão: Empresa de construção vende respiradores

Diante dos altos valores gastos na compra de respiradores e do perfil da empresa contratada pela Prefeitura de Jaboatão, o ex-deputado federal e pré-candidato a prefeito do município, Silvio Costa (Republicanos), vai encaminhar ofício ao Tribunal de Contas do Estado e ao Ministério Público de Pernambuco solicitando uma auditoria e investigação na referida licitação. Costa estranhou o prefeito Anderson Ferreira ter autorizado a compra de cinco respiradores no valor de R$637 mil à empresa SD FERREIRA & CIA LTDA, com sede em Garanhuns e capital social de R$50 mil.

“Como pode uma empresa cuja atividade principal é comércio varejista de materiais de construção em geral ganhar uma licitação para vender respiradores para a Prefeitura de Jaboatão? Além disso, o valor unitário de cada respirador é de aproximadamente R$125 mil, um dos preços mais caros das compras feitas pelos Estados e municípios do Brasil. O que chama a atenção é que um dos últimos contratos de valor considerável, feito pela SD FERREIRA, foi com a Prefeitura de Chã Grande, para fornecer notebooks, impressoras e materiais de informática. Entendo que o prefeito Anderson Ferreira, em nome da transparência, deve explicações ao povo do Jaboatão. Em função disso, solicitei ao TCE e ao MPPE que realizem uma auditoria e uma investigação neste contrato”, afirma Silvio.

Presidente do STF é internado para cirurgia e apresenta sinais de infecção pelo novo coronavírus

Dias Toffoli é internado para cirurgia e apresenta sintomas de Covid-19

Por TV Globo — Brasília

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, foi internado para passar por uma cirurgia para drenagem de abscesso no sábado (23). Durante a internação, o ministro apresentou sinais que sugerem que está com coronavírus e, por isso, ficará em monitoramento.

O ministro passa bem e respira normalmente, sem ajuda de aparelhos, informa nota assinada pelo secretário de saúde do STF.

Abscessos são coleções de material purulento (pus). Segundo o site da Sociedade Brasileira de Dermatologia, embora normalmente decorram de infecções bacterianas, abscessos podem, em alguns casos, serem manifestação de outras doenças cutâneas.

Na quarta-feira (20), Toffoli havia sido submetido a um teste que deu negativo para coronavírus.

A princípio, o ministro ficará de licença médica por 7 dias, podendo ser ampliada dependendo do resultado dos exames. Nesse período, o vice-presidente do STF, ministro Luiz Fux, assume a presidência do tribunal.

Fux está no Rio de Janeiro e assumiu a presidência neste domingo (24). O ministro estará em Brasília a partir desta segunda-feira (25) para conduzir os trabalhos até o retorno de Dias Toffoli.

Jurista esclarece: Decisões do STF podem fazer Forças Armadas intervirem no país

A forma como os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) vêm atuando nos últimos meses chamou à atenção de um dos maiores juristas do mundo, o brasileiro Ives Grandra Martins, considerado uma verdadeira sumidade acadêmica dentro e fora do Brasil.

Ives Gandra comentou decisões polêmicas tomadas pelo STF recentemente, como a que deu aos governadores e prefeitos à autonomia para decidir questões relativas à pandemia do novo coronavírus em suas regiões.

Outra decisão do STF que causou perplexidade em muitos foi a suspensão da nomeação do delegado Alexandre Ramagem para a diretoria-geral da Polícia Federal, feita pelo presidente Jair Bolsonaro.

Aliados do governo e também alguns juristas consideraram a decisão do Supremo uma interferência na separação dos poderes. “Pela Constituição, se houver conflito entre os Poderes e um deles recorrer às Forças Armadas, quem repõe a lei e a ordem são elas”, afirmou Ives Gandra.

“Quem repõe a lei e a ordem são elas” é uma referência às Forças Armadas, responsável pela garantia da estabilidade do país em caso de desequilíbrio entre os poderes. Ou seja, se o STF não cumprir a sua própria responsabilidade de garantir os princípios constitucionais do país.

“O Supremo tem que ser um guardião da Constituição. Não pode ser legislativo positivo, não pode entrar nas competências de outros Poderes”, destacou Gandra, segundo informações da Folha. “Cada vez que vez que um Poder faz isso ele coloca em risco a democracia”, completa.

Às colocações de um jurista da envergadura de Ives Gandra deve acender – ou pelo menos deveria – um sinal de alerta no Supremo Tribunal Federal, dado o contexto de tensão social em que se encontra o Brasil. A questão é: os ministros entenderam o recado?

Eliminando-se os palavrões, o vídeo somente prova o “exercício de intenções”

Miguel Paiva | Brasil 247

Charge do Miguel Paiva (Brasil 247)

Percival Puggina

Se você levar em conta os galões de tinta de jornal, as toneladas de papel e as horas em rádio e TV gastas para gerar expectativa e excitar a clientela, a sessão de pornô político levada a cabo na noite de 22 de maio foi uma frustração. Entre a reunião filmada (22 de abril) e a exibição do filme rolaram inteiros trinta dias ao longo dos quais a publicidade do vídeo foi feita como num buraco de fechadura, divulgando silhuetas, fragmentos e flashes de partes íntimas.

Convenhamos, o fornecedor, depois de tanta propaganda, tinha obrigação de disponibilizar algo melhor. Filme pornô com tarjas pretas? Façam-me o favor!

OFERTA DE PALAVRÕES – Para quem aprecia palavrões, houve uma boa oferta de conteúdo, e comentá-lo foi o que, da fracassada sessão, restou à mídia. A droga do filme só conseguiu segurar a audiência de quem ainda acreditava que a parte boa haveria de chegar às últimas cenas, com o presidente saindo algemado do Palácio. Que fiasco!

Registre-se, a propósito dessa frustração, o fato de o vídeo exibir uma reunião a portas fechadas, em relação à qual a obrigação de divulgar só ocorreu por determinação judicial. Quem reclama do vocabulário usado terá conhecido Bolsonaro como um gentleman que, subitamente, aprendeu a dizer nome feio aos imaculados ouvidos da nação brasileira? Não. Foi para a poltrona comendo pipoca e esperando a sessão começar.

Entende-se, hoje, o motivo pelo qual Sérgio Moro afirmou não haver acusado o presidente de crime algum. Em tese, a partir daquele momento, passado um mês inteiro, tudo mais foi política, ideologia e frustração do consumidor de más notícias.

EXERCÍCIO DE INTENÇÕES – Apaga a luz do cinema e manda a moçada pra casa. O que temos de mais empolgante é um exercício retórico sobre as intenções do presidente. Trata-se, aqui, de espiar a fechadura mental do suspeito, sendo que este simplesmente quis exercer uma de suas prerrogativas constitucionais.

No sentido prático, há duas (surpresa!) perspectivas em relação à reunião, como ato de governo. Na minha avaliação, podendo a fala de Bolsonaro ser reduzida à metade, assisti a uma boa reunião, pela afirmação dos valores que movendo o presidente e seus eleitores, deveriam orientar, homogeneamente, toda a equipe de governo. Os alinhados com a banda oposta, desgostaram de tudo: do presidente, das pautas, dos ministros, e da falta de um crime.

A frustração da moçada da poltrona, que esperava um pornô político, busca consolar-se pegando o pé de Abraham Weintraub por uma frase proferida em desfavor dos ministros do STF. É o voyeurismo político com necessidade de consolo!

Apoiadores de Bolsonaro fazem nova carreata pró-governo em Brasília

Não há confirmação oficial se Bolsonaro participará da manifestação

Emilly Behnke e Jussara Soares
Estadão

A Esplanada dos Ministérios está com todas as seis faixas que levam à Praça dos Três Poderes ocupadas neste momento por uma carreata de apoio ao presidente Jair Bolsonaro. A manifestação já estava marcada e tem a participação de youtubers pró-governo, que estiveram com o presidente no sábado.

O ato também reúne apoiadores em frente ao Palácio do Planalto e a expectativa é de que o presidente participe do ato. Bolsonaro compartilhou em seu Facebook imagens aéreas da movimentação em Brasília.

SEGURANÇA REFORÇADA – Diferente de outras manifestações ocorridas nos últimos finais de semana, o esquema de segurança desta vez está mais reforçado e os manifestantes não conseguirão ficar na grade de frente ao Palácio do Planalto, onde normalmente têm tido contato mais próximo com Bolsonaro nos últimos atos.

Os participantes do protesto estão na grade que fica na Praça dos Três Poderes, mais distante do Planalto. O presidente ainda está no Alvorada e dois helicópteros estão pousados no gramado em frente ao Palácio. Não há confirmação oficial se ele participará da manifestação e se irá de helicóptero.