Carreras publica mensagem de desabafo no Instagram

Em mensagem nas redes sociais, Felipe Carreras desabafou sobre seu processo no PSB

Em mensagem nas redes sociais, Felipe Carreras desabafou sobre seu processo no PSBFoto: Reprodução/Instagram
Por: Juliano Muta – FOLHAPE

Um dia após a decisão do Conselho de Ética do PSB acatar o pedido de representação dos seis segmentos sociais organizados do partido contra os 11 deputados que votaram a favor da reforma da Previdência, o deputado federal Felipe Carreras usou suas redes sociais para se pronunciar sobre o assunto, na manhã desta terça-feira (16). Depois de notificados, os deputados terão 10 dias para apresentarem suas defesas. Concluídos os processos, o Diretório Nacional será convocado para deliberar sobre a recomendação feita pelo Conselho, com base no Código de Ética do partido. As punições vão desde advertência até expulsão.

Usando uma foto misteriosa em que aparece apenas sua silhueta, Carreras desabafou sobre o momento e disse não se considerar “um réu político” por seguir suas convicções. Por fim, agradece o apoio dos colegas de partido. O parlamentar encerra dando um recado ao presidente da legenda. “Por fim, gostaria de dizer que não vou aqui devolver as agressões públicas deferidas pelo dirigente do meu partido. A ele, falei em seus olhos a minha decisão, um dia antes da votação. Tenho equilíbrio e respeito pelos colegas de partido que pensam diferente de mim. Não vou adjetivar ninguém. Todos possuem suas convicções. Sigo de cabeça erguida e focado em trabalhar por um Brasil melhor. Mais justo, mais tolerante. Menos desigual. Contem comigo sempre!!”, concluiu.

Confira a postagem:

“Há momento de ouvir. Agora chegou o de falar. Não me considero um réu político por votar de acordo com as minhas convicções e da maioria dos eleitores que me confiaram o voto. Não há um brasileiro em sã consciência que não acredite ser importante uma reforma na previdência. Inclusive os partidos de esquerda! Eu sempre falei que não votaria pela a aprovação do texto original. A Câmara, sob liderança do Presidente @rodrigomaiarj, mudou pontos importantes: BPC, trabalhador rural, desconstitucionalização, capitalização, etc. Atendidas essas exigências, não tinha como não votar. Não há reforma perfeita. Independente da versão, todos vamos precisar abrir mão de algo. Porém, temos agora uma reforma que vai garantir o futuro de várias gerações. É impossível agradar num voto a todos. Votei por convicção. Quero aqui agradecer os gestos de solidariedade dos meus amigos, dos colegas do PSB de longas datas. Aliás, meu único partido, há 23 anos. Obg @paulocamara40 @Geraldojulio40, aos deputados federais @JoaoCampos e @danilocabral., os deputados estaduais @isaltino.nascimento, Francismar, @lucasramospe, @sivaldoalbino, @simonesantanape, @diogomoraespsb, @aluisiolessaoficial, @clodoaldomagalhaes, Adalto Santos, @aglailson_victor, @waldemar_borges e a vários outros amigos, entre eles o ex-secretário @sergio_xavier, que nos apoiaram neste momento, meu muito obrigado. Não posso deixar de agradecer também aos colegas de outras siglas como @andredepaula55, @raulhenryoficial, @fbezerracoelho, @wandersonflorencio1, @dep_albertofeitosa, @danielcoelho23, @silviocostafilho, @sebastiaooliveira22 @brunoaraujo456, e @augustocoutinhope que sempre me trataram com cordialidade e solidariedade. Por fim, gostaria de dizer que não vou aqui devolver as agressões públicas deferidas pelo dirigente do meu partido. A ele, falei em seus olhos a minha decisão, um dia antes da votação. Tenho equilíbrio e respeito pelos colegas de partido que pensam diferente de mim. Não vou adjetivar ninguém. Todos possuem suas convicções. Sigo de cabeça erguida e focado em trabalhar por um Brasil melhor. Mais justo, mais tolerante. Menos desigual. Contem comigo sempre!!”
carreras

Crédito: Reprodução/Instagram

Entidades de proteção visitam comunidades tradicionais em Itacuruba

Equipe ouviu representantes quilombolas dos Negros de Gilu e Poço dos Cavalos, além de indígenas dos povos Tuxá e Pankará

Equipe ouviu representantes quilombolas dos Negros de Gilu e Poço dos Cavalos, além de indígenas dos povos Tuxá e Pankará      Foto: Divulgação

A equipe Comunidades Tradicionais da Fiscalização Preventiva Integrada da Bahia Hidrográfica do Rio São Francisco em Pernambuco (FPI/PE) se reuniu com representantes de comunidades quilombolas e indígenas no município de Itacuruba, no Sertão do Itaparica. Os técnicos promoveram dois encontros, em que foram ouvidos representantes quilombolas dos Negros de Gilu e Poço dos Cavalos, além de indígenas dos povos Tuxá e Pankará.

Nas duas reuniões, a equipe levou aos participantes esclarecimentos sobre o objetivo da FPI, além de ouvir as demandas relacionadas ao atendimento das necessidades das comunidades, relacionadas à educação, programas assistenciais, saúde e, principalmente, demarcação das terras. Atualmente, estima-se que 54% da população de Itacuruba, que possui cerca de 4.600 habitantes, são formados por povos indígenas e quilombolas, que são distribuídos, ao todo, por seis comunidades.

Outro assunto discutido nas reuniões foi a possível instalação de usina nuclear em área vizinha à ocupada pelos Tuxá, também afetando outros povoados da região. A implantação da usina foi proposta há quase dez anos, mas o assunto teria sido retomado, de acordo com as lideranças, pelo Ministério de Minas e Energia e pela empresa estatal Eletronuclear.

FPI – Sob coordenação do Ministério Público Federal (MPF) e do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), com apoio do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), as entidades participantes do programa são: Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária do Estado de Pernambuco (Adagro); ONG Animalia; Agência Nacional de Mineração (ANM); Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac); Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa); CemaFauna Caatinga/Univasf; Agência de Bacia Peixe Vivo; Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH); Fundação Nacional de Saúde (Funasa); Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe); Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra); Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan); Polícia Militar de Pernambuco (PMPE / 23º BPM e Companhia Independente de Polícia do Meio Ambiente – Cipoma); Polícia Rodoviária Federal (PRF); Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) e Secretaria Estadual de Saúde (SES).

comunidades

Reitor eleito da UFPE é recebido no Palácio

Recepção ao reitor eleito da UFPE no Palácio do Campo das Princesas

Recepção ao reitor eleito da UFPE no Palácio do Campo das Princesas    Foto: Divulgação

O reitor eleito da UFPE,  Alfredo Macedo Gomes, acompanhado do vice-reitor eleito, Moacyr Cunha foram recebidos pelo governador Paulo Câmara (PSB) nesta terça-feira (16), no Palácio do Campo das Princesas. A eleição foi realizada na última segunda-feira (15). Além do governador, participaram da recepção os secretários estaduais de Educação e Esportes e de Ciência e Tecnologia, respectivamente Fred Amancio e Aluísio Lessa, o presidente da AMUPE, José Patriota e o ex-secretário de Juventude do Recife, Eduardo Granja, e o deputado Professor Paulo Dutra, vice-presidente da Comissão de Educação e Cultura da Alepe.

De acordo com Paulo Dutra, o estreitamento das relações entre a Universidade Federal de Pernambuco e os poderes Legislativo e Executivo é imprescindível para garantir a autonomia da universidade pública. “É muito importante estarmos fortalecendo essa relação com a Academia. Nestes tempos de ataques à educação em todos os seus níveis, é preciso lutar para garantir a continuidade de uma educação pública, gratuita e de qualidade social. É apenas com a educação que retomaremos o rumo do desenvolvimento no Brasil”, disse.

O deputado se comprometeu ainda a trabalhar na Assembleia Legislativa de Pernambuco com o objetivo de colaborar com o reitor eleito: “É preciso resistir ao descaso do Governo Federal para com a nossa educação. A UFPE é um importante instrumento de transformação social para quem tem como projeto de vida cursar a universidade. Não só como parlamentar, mas também como membro da comunidade escolar da Universidade Federal de Pernambuco, me comprometo em caminhar juto com o novo reitor, Alfredo Gomes, para garantirmos a continuidade e a ampliação do acesso ao ensino superior público e a qualidade do ensino, da pesquisa e da extensão”.

Eleitos em segundo turno, para serem confirmados na direção da universidade, os nomes dos professores Alfredo Gomes e Moacyr Cunha precisam ser validados pelo Ministério da Educação. Como de costume, o MEC recebe uma lista tríplice encaminhada pelo Conselho Universitário da UFPE e encabeçada pelos vencedores do pleito. A palavra final, porém, caberá ao Governo Federal.

Site para bloqueio de telemarketing de telefônicas tem grande adesão no primeiro dia

[1250] Celular

[1250] CelularFoto: Arthur Mota/Folha de Pernambuco

Entrou em vigor nesta terça-feira (16) a lista Não Perturbe para as operadoras de telecomunicação. E a adesão dos clientes para não receberem ligações de telemarketing de empresas para venda de serviços foi grande já no primeiro dia. De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), 620 mil usuários já realizaram cadastro no site.

De acordo com o Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTeleBrasil), a plataforma online criada pelas empresas de telecomunicações atingiu a marca de 328 mil pessoas cadastradas em pouco mais de 12 horas e 247 mil solicitações de bloqueio. O site vem tendo, em média, 13 mil acessos simultâneos, com pico superior a 40 mil acessos na parte da manhã.

O problema de receber ligações indesejadas também é recorrente no Recife. Mesmo sem terem realizado o cadastro ainda, muitos pernambucanos viram com bons olhos a possibilidade de bloquear as ligações. É o caso da recepcionista Natália Siqueira, de 29 anos. “Ouvi falar sobre o site. Ainda não me inscrevi, mas tenho muita vontade. Tanto eu quanto a minha avó recebemos muitas ligações, até em feriados, quando a gente quer acordar mais tarde e não tem sossego”, comenta.

“Só hoje recebi quatro ligações, todos números do Paraná e buscando vender alguma coisa. Acho o máximo que tenha esse cadastro agora, porque às vezes eles ficam insistindo em um produto que a gente já diz que não quer”, explica a dona de casa Maria Ester Ribeiro.

Passo a passo

No site, o usuário faz a inclusão de seu número no Cadastro Nacional Setorial do “Não Perturbe”, podendo escolher de quais operadoras não deseja receber ligações. Para isso, é preciso criar um login, informando nome completo, CPF e e-mail. O bloqueio será efetivado em até 30 dias corridos a partir da data da solicitação.

A lista inclui as empresas do setor no Brasil: Algar, Claro/Net, Nextel, Oi, Sercomtel, Sky, TIM e Vivo. Elas também deverão, nesse prazo, criar e divulgar amplamente um canal por meio do qual o consumidor possa manifestar o seu desejo de não receber ligações.

Segundo a Anatel, se uma pessoa continuar recebendo ligações de oferta de bens e serviços de telecomunicações mesmo após o cadastro, ela pode ligar para o número 1331 e fazer uma reclamação. As sanções podem variar de advertência a multa de até R$ 50 milhões.

‘Síndrome do coração partido’: depois de 72 anos juntos, marido e mulher morrem com diferença de 12 horas

A notícia da morte do marido fez com que a viúva não aguentasse o stress. Os dois deixam 50 descendentes.

Marilyn Frances DeLaigle e Herbert DeLaigle, que foram casados por 72 anos e morreram com 12 horas de diferença — Foto: Reprodução/Facebook

Marilyn Frances DeLaigle e Herbert DeLaigle, que foram casados por 72 anos e morreram com 12 horas de diferença — Foto: Reprodução/Facebook

Herbert DeLaigle, um militar norte-americano, frequentava um café na cidade de Waynesboro, no estado da Virgínia, e começou a se interessar pela garçonete, Marilyn Frances.

Ele a convidou para sair, eles foram ao cinema e, um ano depois, se casaram.

Isso foi há 72 anos; no último dia 12 de julho, os dois morreram com 12 horas de diferença entre eles.

A história do coração partido

A história dos dois foi reportada pela rede CNN. Segundo a rede, há uma síndrome de coração partido: quando uma pessoa recebe uma notícia muito impactante, há um estresse grande, e é comum que haja um choque no coração, semelhante a um ataque.

O casal deixou 50 descendentes: seis filhos, 16 netos, 25 bisnetos e três tataranetos.

Frances morou seis anos na Alemanha, onde Herbert serviu o exército norte-americano, e, durante os 20 anos em que ele esteve na instituição, eles mudaram constantemente de estados, de acordo com o obituário dela.

G1

Na ânsia de blindar a própria mulher, Toffoli beneficiou as facções do crime, tipo PCC

Resultado de imagem para procurador helio telho

As facções criminosas estão comemorando, afirma Hélio Telho

José Marques e Felipe Bächtold
Folha

O coordenador da Lava Jato no Ministério Público Federal do Rio de Janeiro, Eduardo El Hage, afirmou nesta terça-feira (16) que a decisão do presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli, tomada a pedido do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) “suspenderá praticamente todas as investigações de lavagem de dinheiro no Brasil”.

Em nota, El Hage afirma que “ao exigir decisão judicial para utilização dos relatórios do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras)”, o ministro “ignora o macrossistema mundial de combate à lavagem  de dinheiro e ao financiamento ao terrorismo e aumenta o já combalido grau de congestionamento do judiciário brasileiro”.

REVERSÃO – “É um retrocesso sem tamanho que o MPF espera ver revertido pelo plenário o mais breve possível”, acrescentou. A decisão de Toffoli suspendeu os inquéritos que tramitam em todas as instâncias da Justiça que tenham com base dados detalhados compartilhados por órgãos de controle, sem prévia autorização judicial. A decisão beneficia diretamente Flávio e paralisa a apuração que está sendo realizada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro e que envolve o ex-assessor dele Fabrício Queiroz.

A investigação começou com compartilhamento de informações do Coaf e só depois a Justiça fluminense autorizou a quebra de sigilo bancário.

As consequências da medida do presidente do STF ainda são incertas.

E A JURISPRUDÊNCIA? – A coordenadora da Câmara Criminal do Ministério Público Federal, a subprocuradora-geral Luiza Frischeisen, afirmou que a cúpula do órgão está preocupada com a extensão que essa decisão de Dias Toffoli pode tomar, porque ela iria de encontro a uma questão de ordem analisada anteriormente pelo Supremo que afirma que em casos similares não há suspensão de ações em andamento.

Segundo Frischeisen, o tema ainda tem sido analisado pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que estuda como irá se manifestar sobre o caso.

Outros procuradores também se manifestaram criticamente à decisão de Toffoli nas redes sociais. Integrante da força-tarefa da Lava Jato de São Paulo, Janice Ascari disse que no processo “o ministro Toffoli suspendeu todas as investigações criminais no país inteiro”.

“SEGURANÇA” – Monique Cheker, do Rio de Janeiro, lamentou que “hoje tivemos a suspensão de todas as investigações do país com base na alegada ‘segurança jurídica’.”

Citando artigo de lei de 1998 sobre lavagem de dinheiro e de 2001, com normas para a finança pública, o procurador Helio Telho, de Goiás, questionou: “As leis que autorizam o Coaf a receber informações bancárias de operações suspeitas de lavagem de dinheiro e comunicá-las às autoridades de investigação estão em vigor há aproximadamente 20 anos (!), mas só agora o ministro Toffoli viu motivos para suspender tudo liminarmente?”.

PCC COMEMORA – “A decisão de Toffoli põe em cheque a própria existência do Coaf e a razão de ter sido criado, além de fragilizar a posição do Brasil no cenário internacional, inclusive perante a OCDE, pois transforma o país em paraíso para o dinheiro sujo”, acrescentou.

“O PCC deve estar comemorando a decisão de Toffoli. O Coaf identificou movimentação de R$ 63 milhões, de novembro de 2005 a julho de 2007, 686 contas bancárias pertencentes a 748 pessoas e empresas ligadas ao PCC.”

“Rei da Firjan” há 24 anos, Eduardo Eugênio usa e abusa do orçamento de R$ 1 bilhão

Crédito: JO�O LAET

Eugênio está usando a Firjan em benefício próprio há 24 anos

Germano Oliveira
IstoÉ

Escolhido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, para capitanear a transição das entidades do Sistema S para tempos mais modernos, o presidente da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), Eduardo Eugênio Gouveia Vieira, está longe de ostentar um perfil à altura de sua missão. O industrial carioca, conhecido como “monarca”, acumula um reinado de um quarto de século — exatos 24 anos – à frente da entidade, na qual se eterniza amparado por manobras que lhe permitem ilimitadas reeleições.

Com isso, ele tem mandato assegurado até 2020 e prepara-se para obter novo período na direção da instituição, o que poderá lhe manter ditatorialmente no cargo por quase 30 anos.

NUM PALACETE – É um absurdo, sobretudo num momento em que o País clama por transparência e lisura de seus dirigentes. Afinal, a Firjan administra um orçamento de R$ 1 bilhão, gasto sem maior rigor pelo mandatário que despacha, literalmente, num palacete.

É que recentemente, Gouveia Vieira comprou, em nome da Firjan, o antigo Palacete Guinle-Lineu de Paula Machado, no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro, onde ele e sua diretoria recebem convidados em eventos exclusivos para públicos restritos. Uma incoerência gritante para um gestor escolhido pelo governo para gerir e reformular o Sesi e Senai, cuja reestruturação foi determinada por Guedes com o objetivo de acabar com aquisições milionárias de imóveis com recursos do Sistema S.

Só na compra do palacete e do terreno da família Guinle, a Firjan gastou R$ 42,2 milhões, além de outros R$ 70 milhões usados na reforma do imóvel. Enquanto o monarca Gouveia Vieira ocupa o palacete Guinle, o corpo técnico da Firjan continua operando na sede, localizada na avenida Graça Aranha, no centro do Rio.

FORA DA FINALIDADE – Na verdade, os recursos usados no nababesco palácio da Firjan deveriam estar sendo aplicados na missão final do Sesi e do Senai, que é o atendimento dos funcionários das indústrias fluminenses. Apesar de estar entre as mais ricas federações do país, a Firjan é a que menos oferece educação básica a seus associados, com apenas 158 vagas escolares ofertadas em todo o estado em 2018. Também no ensino médio as entidades dirigidas pelo “rei da Firjan” ofereceram somente 119 vagas em todo o estado.

Pelas normas do Sistema S, o Sesi é obrigado a destinar um terço de sua receita líquida para a área de educação, sendo metade em vagas gratuitas no ensino básico e continuado. Mas os recursos têm sido aplicados em caprichos pessoais e autopromoção do “déspota” da Firjan.

Um levantamento na prestação de contas da entidade constatou que, em 2013, foram gastos com o aluguel de jatinhos e helicópteros quase três vezes mais do que estava previsto, saltando de R$ 191 mil para R$ 489 mil. Gouveia Vieira costuma fretar helicópteros para reuniões em Niterói ou jatinhos para suas viagens regionais, sobretudo para idas a Brasília (ele se recusa a usar aviões de carreira).

LAVA JATO – Gouveia Vieira entrou na mira da Lava Jato, após delação de Rogério Araújo, executivo da Odebrecht, enrolado com superfaturamentos.

As despesas de publicidade também são astronômicas. A entidade gasta R$ 28 milhões por ano. O Tribunal de Contas da União (TCU), onde desde 2015 há pendências na prestação de contas do Sesi-RJ, informou que solicitará explicações sobre a destinação dos recursos. A Firjan também patrocina as viagens constantes de Gouveia Vieira à Paris. Ele vai à França pelo menos cinco vezes por ano e fica hospedado no Hotel Plaza Athenee, o mais caro da capital francesa, com diárias de até R$ 4 mil, tudo pago pela entidade.

SALÁRIOS MILIONÁRIOS – Numa espécie de pacto com outros diretores e funcionáros mais graduados da entidade, Gouveia Vieira paga salários milionários, de até R$ 100 mil mensais para o diretor-geral, muito acima do teto constitucional de R$ 33 mil. Segundo acórdão do Tribunal de Contas da União (TCU), publicado em 16 de novembro de 2016, graves denúncias foram apontadas na gestão de Gouveia Vieira, especialmente no tema de supersalários. Somente no período de 2008 a 2010, a entidade desviou R$ 60,7 milhões em prêmios e salários considerados ilegítimos.

Além de todos esses malfeitos, Gouveia Vieira entrou na mira da Operação Lava Jato do Rio de Janeiro, após a delação de Rogério Araújo, executivo da Odebrecht, enrolado nas obras superfaturadas do Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj).

O presidente da Firjan teria participado de irregularidades nas obras do Comperj ao lado do ex-governador Sérgio Cabral, preso no Rio por vários crimes de corrupção. Os investigadores da Lava Jato estão intrigados com as movimentações patrimoniais atípicas do velho monarca carioca. O rei está nu.

Greenwald não pode liberar material para perícia, porque a fraude será descoberta

Resultado de imagem para greenwald charges

Se liberar o material para perícia, Greenwald estará liquidado

Carlos Newton

Ao invés de continuar perseguindo o ex-juiz Sérgio Moro, os procuradores federais e outros participantes da Laja Jato, o jornalista norte-americano Glenn Greenwald começa a se sentir perseguido. Convidado para ser uma das estrelas no festival literário de Paraty, ele teve se locomover de barco, cercado de seguranças, e sua palestra foi saudada por um sonoro protesto popular, que incluiu explosão de rojões, Hino Nacional em duas versões, “Detalhes” e “Pavão Misterioso”, que se tornou sua nova trilha sonora.

Às custas da Lava Jato, Greenwald já viveu seus 15 minutos de fama, agora a tendência é descer a ladeira e prestar contas à Justiça, no prosseguimento da investigação a cargo da Polícia Federal.

INTIMIDAÇÃO – No momento, o jornalista tenta se manter incólume através da intimidação, repetindo as mesmas ameaças: “Esse acervo que nós temos é muito poderoso. E o poder dos documentos, fotos e vídeos, e dos áudios que nós temos dá medo nas pessoas que têm mais poder. Esse acervo tem a capacidade de mostrar a verdade. Só isso. E isso está assustando a eles mais do que tudo”, diz ele, na esperança de que o material não venha a ser apreendido para sofrer perícia.

Desafiadoramente, anunciou que não irá disponibilizar às autoridades as mensagens trocadas por procuradores e pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, que basearam reportagens publicadas pelo site.

Nós não entregamos e nunca vamos entregar nosso material jornalístico para a polícia ou tribunais porque isso é uma coisa que acontece em países autoritários, tiranias, e não democracias. O que nós fizemos, como profissionais, nós verificamos com muita cautela que o material é totalmente autêntico”, advertiu.

ADULTERAÇÕES – As denúncias de Greenwald já estão desmoralizadas, desde que o ex-procurador Carlos Fernando dos Santos Lima compartilhou uma gravação do editor executivo do site “The Intercept”, Leandro Demori, feita pelo jornalista Oswaldo Eustáquio e divulgada no site “República de Curitiba”.

Na gravação, Leandro Demori, que editou as publicações dos diálogos entre Moro e os procuradores, mantém uma conversa com colegas sobre a ‘Vaza Jato’ e admite que o “Intercept” fez alterações nos diálogos: “A gente tá passando recibo […] A gente escolheu pra nós. Ta aqui ó, ninguém faz isso. A gente tá passando recibo. A gente tomou uma decisão”, disse Demori em um café na cidade de São Paulo.

Nesses áudios, Demori e seus interlocutores falam sobre supostos erros nas mensagens, tanto de digitação quanto de contexto. “Tava tudo errado. O que, por exemplo, estava errado? Tudo tava errado. Nomes, data, blocos, citação. Tudo errado”, declarou o editor do Intercept. “Absolutamente tudo errado”, confirmou outra jornalista.

SEM COMENTÁRIOS – Procurado pela imprensa, Leandro Demori não quis comentar o caso. E não foi só isso. Muitos outros erros foram identificados. O mais gritante foi denunciado pela procuradora Monica Checker, que à época do diálogo atribuído a ela não conhecia o então juiz Moro e jamais tinha ouvido falar nele.

A estratégia de Greenwald é clara. Recusa-se a liberar as gravações porque ficará comprovado que houve manipulação de dados, nomes e datas. E assim, ao invés de continuar acusando os participantes da Lava Jato, o acusado passará a ser ele.

De toda forma, Greenwald está acuado. Não pode entregar o material nem pode se livrar dele. E não conseguirá permanecer eternamente escondido sob o manto da liberdade de imprensa, para evitar que haja perícia nas gravações. Sua incriminação é apenas uma questão de tempo.

###
P.S. 1 –
 A  conversa do editor do Intercept foi num café em São Paulo. Eles estava falando alto, o jornalista Oswaldo Eustáquio estava na mesa ao lado e captou a mensagem, amado mestre.

P.S. 2  Imagine-se a mesma situação na matriz USA, com um jornalista brasileiro dedicado a demolir o mais importante trabalho da Justiça americana, sem submeter as provas à perícia. Na matriz USA, Greenwald já estaria preso há muito tempo. Enquanto isso, aqui na filial Brazil, ele ainda continua tirando onda… (C.N.)

Jovem que ‘casou sozinha’ após ser deixada pelo noivo morre ao cair do 9º andar

Reprodução

A influenciadora digital e youtuber Alinne Araújo, 24 anos, morreu nesta segunda-feira (15) ao cair do nono andar do prédio em que morava, no Rio de Janeiro. Vídeos e fotos de Alinne casando “com ela mesma” viralizaram no final de semana. A informação é do jornal Extra.

Amiga e madrinha de casamento de Alinne, Odara Marina, confirmou a morte pelo Instagram. Policiais do 31º Batalhão da Polícia Militar, do Recreio dos Bandeirantes, foram acionados para o local. A suspeita é de que a jovem tirou a própria vida. Ela recebeu ataques online depois de postar as fotos e vídeos do casamento inusitado, sem o noivo, depois de ser abandonada.

Hoje, por volta das 13h, Alinne postou seus últimos stories no Instagram, rebatendo críticas que recebeu. Foram suas últimas postagens.

“Agora vocês tão querendo mandar o jeito que eu vou sentir minhas coisas agora também… Ah, pronto. Podem criar a fanfic que vocês quiserem na suas cabeças. Eu não tô nem aí para vocês haters… Porque eu vou continuar sendo eu, só posso ser o que posso ser… Quer me chamar de biscoiteira, marketeira… Legalzão fazer marketing sobre uma noiva que foi abandonada no altar… Última vez que me pronuncio aqui sobre essa palhaçada de eu estar querendo me promover com um dos piores momentos da minha vida… Ridículos”, disse.

Deixada um dia antes de casar

Alinne usou as redes sociais para postar detalhes do seu casamento, que foi acompanhado por vinte pessoas, apenas 1/4 dos convidados da festa, em um salão de festar no bairro do Campo Grande. Ela entrou para casar ao som da marcha nupcial e depois de uma música de Luísa Sonza. Para a Veja São Paulo, ela explicou que como já estava tudo pago resolveu levar a celebração adiante. “Fiz dos limões a minha limonada. Preferi sofrer onde já estava tudo pago e tinha um sonho a realizar do que em casa”.

Mais de 60 vídeos mostram que médico e prefeito no Ceará estuprava pacientes

Gravações foram feitas pelo próprio médico e as consultas ocorriam em um hospital público e na sua casa; apesar das imagens, político nega acusações

  • Médico prefeito CearáReprodução/TV Globo – Nos vídeos, prefeito aparece penetrando as pacientes, afirmando que precisava ‘devirar’ o útero delas

O médico José Hilson de Paiva (PCdoB), que é prefeito da cidade de Uruburetama (CE), foi denunciado por praticar violações sexuais mediante fraude. A denúncia toma como base 63 vídeos, aos quais a redação da TV Globo teve acesso, filmados pelo próprio médico, que mostram cenas de abuso e estupro dentro dos consultórios em que Paiva atendia pacientes, sob o pretexto de ser ginecologista.

Divulgada pelo programa Fantástico na noite deste domingo (14), a denúncia aponta que os abusos ocorriam há décadas no Ceará , em dois consultórios do médico, sendo um deles na própria casa do prefeito, onde ele atendia pacientes. O segundo consultório fica no hospital público da cidade.

Nas gravações, que não foram divulgadas devido ao teor sexual e criminoso, o médico é visto com a boca nos seios das mulheres, sob o pretexto de estar tirando secreção. Além disso, aparece penetrando as pacientes, afirmando que precisava “devirar” o útero delas.

Leia Também:  Ex-ministros veem ‘desmonte’ no Meio Ambiente e riscos à credibilidade do Brasil

Por enquanto, o Ministério Público já ouviu o relato de seis mulheres que dizem ser vítimas de abuso do prefeito. Por sua vez, O doutro Hilson, como gosta de ser chamado, afirma que nunca fez “nada forçado” e que as acusações são “jogada da oposição”. “Querem me derrubar”, diz o médico.

O programa dominical ouviu uma das vítimas, que contou que nunca havia sido consultada por um ginecologista e, por isso, não sabia se os procedimentos seguidos pelo prefeito eram normais em uma consulta ginecológica. “Se ele estava dizendo que era daquela maneira, eu tinha que acreditar”, relata a mulher.

Outra vítima disse só ter voltado a se consultar com ele porque o prefeito também é o único ginecologista da cidade do Ceará . Hoje com 70 anos, o político foi eleito prefeito de Uruburetama em 2016 com 76% dos votos.

fonte:G1