Solidariedade adia decisão para dia 28

Blog da Folha

A cúpula do Solidariedade deliberou, ontem, empurrar a decisão sobre o rumo do partido para a próxima semana. O presidente estadual do SD, deputado federal Augusto Coutinho, o deputado federal Kaio Maniçoba, o deputado estadual Alberto Feitosa e o ex-deputado federal Carlos Eduardo Cadoca devem se reunir novamente na próxima quinta-feira e tomar a decisão com “cautela”.

O clima de desgaste entre o Palácio do Campo das Princesas e o partido deu o tom da reunião. “Houve o episódio do Kaio, que gerou desconforto. Foi subtraído um espaço e isso nos dá um desapontamento, mas temos que ter cautela”, afirmou Coutinho, acrescentando que foi uma reunião informal de avaliação de cenário.

O partido, no entanto, alega que foi preterido reiteradas vezes pelo governo estadual, a exemplo da perda da Pernambuco Participações e Investimentos (Perpart), que ficou à época com André Campos (PSB), e, agora, com a sinalização de que a Secretaria estadual de Habitação ficaria com Kaio Maniçoba, mas foi nomeado Bruno Lisboa (MDB) para a pasta. O Palácio não chamou a legenda para nova conversa.

O governador Paulo Câmara (PSB) negou que tenha havido qualquer sinalização para o Solidariedade neste sentido e que a pasta “sempre foi do MDB”. “Tenho sentado muito com o solidariedade e os movimentos todos que valorização desse partido que está conosco”, afirmou.

Como são as ‘jaulas’ em que os EUA estão detendo filhos de imigrantes sem documentos

Área destinada a imigrantes detidos no TexasDireito de imagem ALFÂNDEGA E PROTEÇÃO DE FRONTEIRAS DOS EUA
Autoridades publicaram esta imagem com imigrantes em uma espécie de jaula; jornalistas disseram ter visto crianças em condições semelhantes

“Nada menos que uma prisão”.

Foi assim que o congressista democrata americano Peter Welch descreveu, em um tweet, um centro de detenção no Texas (EUA) em meio à polêmica sobre a política de imigração “tolerância zero”, na qual os filhos são separados dos pais. O comentário foi feito após uma visita do parlamentar juntamente com outros deputados e alguns jornalistas.

A instalação do Texas é conhecida como Ursula, embora os imigrantes a chamem de “La Perrera” (“O Canil”, em tradução livre), referindo-se às gaiolas instaladas no local que, além de imigrantes adultos, agora também são usadas ​​para albergar crianças separadas de seus pais depois de tentar atravessar ilegalmente a fronteira.

As autoridades não permitiram que fotografias ou vídeos fossem feitos dentro do centro, mas o Departamento de Alfândega e Proteção de Fronteiras (CBP, sua sigla em inglês) dos Estados Unidos publicou várias imagens.

“Acabei de sair de uma ‘instalação de triagem’ da patrulha fronteiriça, conhecida como ‘geladeira’. É nada menos que uma prisão”, disse Welch.

Gaiolas com cadeados

O congressista não foi o único que comparou o complexo a uma prisão.

Crianças em centro para imigrantesDireito de imagemALFÂNDEGA E PROTEÇÃO DE FRONTEIRAS DOS EUA
Image captionEx-primeira-dama Laura Bush disse que complexo para imigrantes parece um dos campos de detenção usados contra nipo-americanos durante a Segunda Guerra

A ex-primeira-dama Laura Bush, mulher de George W. Bush, disse que a estrutura se assemelha aos campos de detenção usados para prender nipo-americanos nos EUA durante a Segunda Guerra Mundial.

“Numa das gaiolas havia 20 crianças. Havia também garrafas de água, sacos de batatas fritas e folhas grandes destinadas a servir de cobertores”, informa a agência AP.

O senador democrata Jeff Merkley liderou uma equipe de parlamentares durante a visita ao complexo de Ursula, no último domingo.

Merkley ganhou as manchetes no início deste mês quando tentou entrar em outra instalação que abrigava cerca de 1.500 crianças em uma loja desativada do Walmart – e não foi autorizado.

Após visitar Ursula, o senador disse à CNN que um grande número de menores de idade estavam dentro de “uma gaiola de arame de cerca de 10×10 metros trancada com cadeados”.

“Devo dizer, no entanto, que eles eram muito menos do que quando estive aqui há duas semanas. Me disseram que ônibus cheios de crianças foram levados antes de eu chegar.”

Além disso, o senador Chris Van Hollen, de Maryland, expressou choque e raiva com as condições que viu.

“Acabei de sair do Centro de Triagem da Patrulha de Fronteira em McAllen, também conhecida como ‘canil’. Eu testemunhei como as crianças estavam amontoadas, separadas de suas mães e pais. @realDonaldTrump, mude hoje sua política vergonhosa! #FamiliesBelongTogether “, diz o tweet.

Três alas

Em Ursula, mais de 1.100 imigrantes aguardam para serem processados.

Eles estão separados em três alas: crianças desacompanhadas, adultos sozinhos e pais com seus filhos.

As autoridades disseram que quase 200 dos detidos eram menores desacompanhados e outros 500 eram pais com seus filhos.

Guarda fecha grade em centro para imigrantes nos EUADireito de imagemALFÂNDEGA E PROTEÇÃO DE FRONTEIRAS DOS EUA
Em uma das unidades, 1.100 imigrantes aguardam em três alas para serem processados: crianças desacompanhadas, adultos sozinhos e pais com seus filhos

O jornal Los Angeles Times, que também enviou uma equipe para o centro de detenção, descreveu a instalação de 22 mil m² como “limpa, espaçosa e com piso de concreto”.

O agente de patrulha responsável pela área, John Lopez, disse ao jornal que os 42 banheiros químicos do local são limpos três vezes ao dia.

Há três paramédicos, dois membros da equipe médica e 310 funcionários, mas não há equipe de saúde mental ou treinamento, detalha o jornal.

As luzes do prédio ficam acesas o tempo todo.

Do tamanho de um Walmart

A cerca de 80 km de distância, na cidade de Brownsville, cerca de 1.500 crianças estão alojadas em um prédio que já foi um hipermercado da rede Walmart.

As crianças, entre 10 e 17 anos, foram detidas quando atravessavam a fronteira ilegalmente.

É a maior instalação nos Estados Unidos para crianças e o número aumentou em centenas no último mês.

Crianças em centro para imigrantesDireito de imagemREUTERS
Cerca de 1.500 pessoas estão alojadas em uma antiga loja do Walmart

No dia 4 de junho, o senador Merkley mostrou em uma transmissão ao vivo pelo Facebook que a equipe de segurança negou sua entrada no local, conhecido como “Casa Pai”.

Esse fato gerou dúvidas sobre as condições em que as crianças estavam no local.

Na semana passada, vários meios de comunicação puderam entrar para ver as instalações. Nenhuma gaiola foi mencionada, mas eles compararam a acomodação a um armazém gigante.

Para abordar aqueles que chegam agora, com a nova política de “tolerância zero” em vigor, berços foram adicionados aos dormitórios da “Casa Pai”.

O jornal New York Times descreveu o local como “limpo, grande e brilhante”, com crianças recebendo aulas seis horas por dia e recreio ao ar livre durante duas horas por dia. O local conta com 48 trabalhadores, incluindo três médicos.

O presidente americano, Donald Trump, afirmou na última quarta-feira que irá acabar com a separação de pais e filhos detidos na fronteira.

Trump assinou um documento que determina que elas fiquem em um mesmo centro de detenção que os pais.

Trauma a longo prazo?

“As crianças que foram separadas de seus pais já estão traumatizadas”, disse o senador Merkley.

Segundo Merkley, uma vez separados, não importa se o piso é varrido ou se estão bem agasalhados.

As autoridades dizem que estão tentando manter os irmãos juntos e não separar as crianças menores de quatro anos de seus pais.

Pessoas em centro para imigrantesDireito de imagemAFP
As autoridades dizem que estão tentando manter os irmãos juntos e não separar as crianças menores de quatro anos de seus pais

Mas Anne Chandler, diretora do Centro de Justiça Tahirih em Houston, uma organização sem fins lucrativos que ajuda crianças imigrantes na fronteira sul dos Estados Unidos, disse à revista Texas Monthly que tinha ouvido histórias de “crianças muito jovens, inclusive algumas que precisam ser amamentadas, e com menos de três anos de idade, separadas dos pais em abrigos”.

“Eu estava falando com uma mãe, quando ela disse: ‘não levem meu filho’, e a criança começou a gritar, vomitar e chorar histericamente. A mulher pediu aos funcionários: ‘Posso tentar confortá-la pelo menos por cinco minutos?’ Mas eles negaram”, disse Chandler à revista.

A Academia Americana de Pediatria advertiu na semana passada que “experiências altamente estressantes, incluindo a separação da família, podem causar danos irreparáveis ​​ao desenvolvimento ao longo da vida, alterando a arquitetura cerebral de uma criança”.

Fonte: BBC

Desembargadora indefere recurso e Fachin arquiva o pedido para libertar Lula

Resultado de imagem para maria de fátima freitas labarrère

Vice-presidente do TRF-4 só liberou o recurso ao STJ

Deu no Estadão

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), julgou prejudicado e retirou da pauta da próxima terça-feira, 26, o pedido de liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O motivo é a decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) de negar, nesta sexta-feira, 22, a admissão do recurso extraordinário ao Supremo Tribunal Federal.

A suspensão dos efeitos da condenação imposta pelo TRF-4, que poderiam liberar o petista da cadeia e sua inelegibilidade, era um pedido feito ao STF através do recurso extraordinário, que foi rejeitado nesta sexta pelo tribunal de segunda instância. No jargão jurídico, a defesa de Lula pedia o “efeito suspensivo” ao recurso.

PREJUDICABILIDADE – Em sua decisão, assinada nesta sexta-feira, Fachin apontou a “alteração do quadro processual” após a decisão do TRF-4.

“Com efeito, a modificação do panorama processual interfere no espectro processual objeto de exame deste Supremo Tribunal Federal, revelando, por consequência, a prejudicialidade do pedido defensivo. Diante do exposto, nos termos do art. 21, §1°, RISTF, julgo prejudicada esta petição. Retire-se de pauta. Diligências necessárias. Publique-se. Intime-se. Brasília, 22 de junho de 2018”, determinou o ministro.

C H A R G E

C H A R G E

Charge O Tempo 21/06/2018

Prisão de ex-secretário mostra que a força-tarefa aperta o cerco a Alckmin

Resultado de imagem para alckmin charges

Charge do Bira Dantas (Arquivo Google)

Daniela Lima
Folha/Painel

A prisão de Laurence Lourenço, ex-secretário de Transportes do governo de Geraldo Alckmin, elevou a outro patamar a pressão exercida pelo Ministério Público e pela Polícia Federal sobre o tucano. O alvo Lourenço era homem de confiança de Saulo de Castro, braço direito do ex-governador. Antes, ele trabalhou na Kroll, agência de inteligência já citada em escândalos de monitoramento ilegal. Por isso, diversos secretários de Alckmin se sentiam desconfortáveis em falar com ele. Havia temor de grampos.

Laurence e os outros 14 alvos da PF foram presos temporariamente para “colheita de provas” e “apuração mais ampla”. Quem entende do riscado diz que esse era o argumento clássico para coercitivas —proibidas pelo STF.

Delação de Palocci, que cita Lula e Dilma, é homologada por desembargador

Resultado de imagem para Delação de Palocci, que cita Lula e Dilma, é homologada por desembargador
Bela Megale

O Globo

Relator da Operação Lava-Jato no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), o desembargador João Pedro Gebran Neto homologou nesta sexta-feira a delação premiada do ex-ministro Antonio Palocci, que comandou a pasta da Fazenda no governo do ex-presidente Lula e foi chefe da Casa Civil da gestão de Dilma Rousseff.

Como O Globo revelou em abril, depois de tentar, sem sucesso, fechar um acordo de colaboração com a força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba, Palocci acabou firmando um acordo pontual com a Polícia Federal, sem o envolvimento de autoridades com foro privilegiado. O acordo foi homologado dois dias após o Supremo Tribunal Federal (STF) liberar a PF para firmar delações.

LULA E DILMA – Na delação, Palocci citaria episódios desabonadores envolvendo tanto Lula quanto Dilma e detalharia pagamentos de propina ao PT envolvendo empreiteiras investigadas no escândalo da Petrobras. Os termos do acordo firmado com a PF e agora homologado pela Justiça ainda estão sob sigilo.

Palocci está preso em Curitiba desde setembro de 2016. Ele foi condenado por Moro a 12 anos, dois meses e 20 dias de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Em abril, O Globo revelou que boa parte das histórias abordadas por Palocci — que ainda poderão ser detalhadas no curso das investigações — reconstituiriam o esquema de corrupção na Petrobras, as relações das empreiteiras com políticos do PT e outros partidos, assim como a forma como Lula e Dilma se envolveram nas tratativas que resultaram em um prejuízo de cerca de R$ 42 bilhões aos cofres da estatal, segundo estimativa da própria PF.

DETALHES – O detalhamento das negociatas que envolveram o pagamento de milionárias propinas ao PT pela Odebrecht, em troca de contratos bilionários de construção de sondas de exploração de petróleo em águas profundas para a Petrobras, é um dos principais pontos da delação do ex-ministro.

O ex-ministro teria narrado pelo menos uma conversa com Lula no Palácio do Planalto na qual teria tratado do esquema envolvendo a construção de sondas para exploração de petróleo. O objetivo da negociação, feita na presença de Dilma, seria levantar dinheiro para bancar a eleição da ex-presidente, em 2010.

Ao falar da relação de Lula com empreiteiras, o ex-ministro disse que parte do dinheiro entregue nas mãos do ex-presidente e na sede do instituto teria saído diretamente da “conta Amigo”, a reserva de propina atribuída ao petista no Departamento de Operações Estruturadas da Odebrecht. Já ao citar Dilma, Palocci afirmou aos investigadores que ela teria atuado para atrapalhar as investigações da Lava-Jato no episódio da nomeação de Lula para ministro da Casa Civil, em março de 2016.

PROVAS MATERIAIS – Além de detalhar os casos de corrupção dos quais participou ou teve conhecimento, o ex-ministro terá de apresentar provas do que diz. Se mentir ou quebrar algumas das cláusulas firmadas, poderá perder os benefícios negociados.

Fundador do PT, ex-prefeito de Ribeirão Preto, ex-ministro da Fazenda do governo Lula e ex-chefe da Casa Civil de Dilma, Palocci participou das decisões mais importantes do partido nas últimas duas décadas. O PT sempre negou irregularidades nas doações de campanha do partido.

DILMA REAGE – Em nota divulgada em abril, Dilma afirmou que “o ex-ministro mente para sair da cadeia e não tem provas para sustentar acusações a ela ou Lula”.

Também em abril, o advogado de Lula Cristiano Zanin negou envolvimento de seu cliente nos fatos narrados: “Qualquer afirmação de entrega de dinheiro ao ex-presidente Lula é mentirosa e, por isso mesmo, desacompanhada de qualquer prova. Lula jamais pediu ou recebeu vantagens indevidas”.

Em nota, o PT afirmou que Palocci “rendeu-se às chantagens da Lava-Jato” e faz “falsas acusações” contra Lula para receber benefícios.

ONU alerta sobre atentados aos direitos humanos na Venezuela

Resultado de imagem para ONU alerta sobre atentados aos direitos humanos na Venezuela

Análise do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos faz severas críticas ao governo da Venezuela. No comunicado, o órgão informa que as autoridades venezuelanas persistem em assassinatos e torturas, entre outras violações, sem apurar responsabilidades. O documento cobra do governo da Venezuela apuração das denúncias.

O documento diz que na Venezuela o estado de direito está “virtualmente ausente”, recordando que há uma série de suspeitas que seguem sem punição.

Na nota, há menção às violações registradas, no período de julho de 2015 a março de 2017, durante os protestos que ficaram conhecidos como Operações para a Libertação do Povo. Em decorrência das manifestações, segundo números divulgados extra-oficialmente, 505 pessoas morreram. De acordo com testemunhas, há informações que o objetivo das operações, comandadas pelo governo, era desarticular os grupos armados e reduzir a criminalidade no país.

Abusos

Os peritos internacionais, ligados ao Alto Comissariado das Nações Unidas, constaram a existência de uso excessivo da força nas manifestações, além de detenções arbitrárias, maus tratos e torturas. Em meio às violações, as autoridades advertiram ainda sobre o agravamento da crise econômica que leva a população a passar por dificuldades para se alimentar e cuidar da saúde.

De acordo com os dados da ONU, 87% dos venezoelanos sofrem em decorrência da pobreza e dos impactos da inflação. Os peritos fazem a comparação: o preço do leite infantil, por dois meses, equivale a valor do salário mínimo.

Investigação internacional

Para o alto comissário para Direitos Humanos, Zeid Ra’ad Al Hussein, os espaços democráticos na Venezuela estão fechados, e apelou para que o Conselho de Direitos Humanos defina uma comissão internacional para investigar as suspeitas de “transgressão de garantias fundamentais” cometidas no país.

Amanda Flores, oficial da Oficina del Alto Comisionado da ONU para os Direitos Humanos, destacou a importância de uma análise imparcial, pois observa falhas das autoridades venezuelanas na tarefa de identificar e investigar a aplicação da lei para aqueles que insistem em cometer abusos.

Fachin nega recurso de Lula e julgamento é cancelado no Supremo

Com a decisão, ex-presidente permanece preso e não terá caso julgado na próxima semana

Fachin nega recurso de Lula e julgamento é cancelado no Supremo

ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin rejeitou há pouco pedido protocolado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para aguardar em liberdade o julgamento de mais um recurso contra a condenação na Operação Lava Jato. Com a decisão, o caso não será julgado na próxima terça-feira (26) pela Segunda Turma da Corte, e Lula continuará preso.

A decisão do ministro foi tomada após a vice-presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF 4), Maria de Fátima Freitas Labarrère, rejeitar pedido para que a condenação a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, no caso do tríplex em Guarujá (SP), um dos processos da operação, fosse analisado pela Corte.

Com informações da Agência Brasil.

AI, ESTA TERRA… Por José Paulo Cavalcanti Filho

Ocorre que nem passa pela cabeça de um professor português fazer greve com prejuízo para o aluno. Deixar de dar aulas, pois, nem pensar. Em nenhum lugar civilizado é assim, bom se diga. No Brasil, bem diferente…

 … sonho de uma noite de verão…

        Por José Paulo Cavalcanti Filho  –  Escritor, poeta,membro da Academia Pernambucana de Letras e um dos maiores conhecedores da obra de Fernando Pessoa. Integrou a Comissão da Verdade.

(Lisboa, Recife). Em Nevoeiro (Mensagem), Fernando Pessoa reflete sobre seu país: “Nem Rei nem lei, nem paz nem guerra/ Define com perfil e ser/ Esse fulgor baço da terra/ Que é Portugal a entristecer”. A tentação é apropriar esses versos, trocando apenas o país. Em vez de Portugal, Brasil. Esperanças vãs. Tardias e estreladas. Em mim, essa tristeza com o país vem das comparações, em pequenas observações do quotidiano. Por conta do espaço limitado, seguem apenas duas.

  1. ESCOLAS. Em Portugal, os salários iniciais das carreiras públicas são baixos. Aumentando, a cada cinco anos, por conta de progressões funcionais. Servidores públicos estão há anos sem aumentos porque o governo ainda sofre com o déficit. Só o terão quando o país voltar a ser superavitário. Ali pertinho, na Espanha, vale uma regra parecida. Enquanto a Previdência Social for deficitária, aposentadorias terão aumento máximo anual de só 0,25%. Ponto final. Difícil comparar com o Brasil – em que se pleiteia, todos os anos, correção e recuperação de perdas passadas. Voltando à terrinha, professores agora requerem progressão funcional nas suas carreiras. Por conta do tempo de serviço. Única forma, no contexto, de ganharem algo mais. Só que o governo resiste em dar aquela progressão. E há risco de greve.

Ocorre que nem passa pela cabeça de um professor português fazer greve com prejuízo para o aluno. Deixar de dar aulas, pois, nem pensar. Em nenhum lugar civilizado é assim, bom se diga. No Brasil, bem diferente, passam semanas e meses longe das salas. É possível que as provas de fim de ano, a serem realizadas agora em junho, acabem realizadas sem que sejam fornecidas suas respectivas notas à direção das escolas. O mundo, lá, é outro. Por falar em escolas, celulares de muito são proibidos nas salas de aula. Havendo o risco de incorporar, agora, o que já acontece na França; não podendo ser usados, em qualquer situação, dentro das escolas. Tentativa de obter maior concentração, dos alunos, em seus estudos. Difícil imaginar que algo assim possa ocorrer por aqui. Talvez houvesse até greve dos estudantes, contra.

 … No sinal, quando para um carro na frente, motos e bicicletas ficam atrás. No meio da rua. Como se fossem um carro. No Brasil, 40 motos ou bicicletas cortariam pela direita, mais 30 pela esquerda, e…

  1. MOTOS. Acidentes de motos, e bicicletas, quase não há em Portugal. Por duas razões simples. Uma é que se usa lá, sempre, todas as proteções. Outra é que são considerados veículos, regra geral na Europa. A partir do Código das Estradas português (de 01/01/2014) – quando passaram a ter todos os direitos, e obrigações, de qualquer veículo. No sinal, quando para um carro na frente, motos e bicicletas ficam atrás. No meio da rua. Como se fossem um carro. No Brasil, 40 motos ou bicicletas cortariam pela direita, mais 30 pela esquerda, e todas ficariam estacionadas sobre a passarela de pedestres. Esperando o sinal abrir. Resultado, no Brasil temos acidentes a granel. E lá, não.

  “Ai, esta terra ainda vai cumprir seu ideal/ Ainda vai tornar-se um imenso Portugal”. Mesmo sabendo não ser possível, nem tão cedo. Pena. Reduzindo-se essa pressa que embala hoje meu coração…

Meu filho Sérgio, ciclista inveterado, e sem saber dessas regras, ultrapassou o carro da frente com sua bicicleta. Foi logo parado por uma guarda. A multa é 1/3 do valor da bicicleta. Não foi multado só porque o guarda o reconheceu como estrangeiro. Acreditou que não conhecia da lei. E foi generoso. O curioso é que Serginho nunca mais ultrapassou carro nenhum, fora das situações em que isso é possível. Tenho dúvidas se, por aqui, continuará sem ultrapassar os carros, vendo todos fazer isso no seu entorno. Não faz lá, enquanto aqui talvez faça.  Por conta da cultura. Da civilização. É a única conclusão possível.

Sonho com o dia em que, como no Fado Tropical do português Ruy Guerra, musicado por Chico Buarque, “Ai, esta terra ainda vai cumprir seu ideal/ Ainda vai tornar-se um imenso Portugal”. Mesmo sabendo não ser possível, nem tão cedo. Pena. Reduzindo-se essa pressa que embala hoje meu coração, como na peça de Shakespeare, a só Sonho de uma noite de verão.

Mas continuo otimista. Um dia isso muda.

Gleisi Hoffmann acena, mas não dá garantias

Presidente nacional do PT Senadora Gleisi Hoffmann

Presidente nacional do PT Senadora Gleisi HoffmannFoto: Paulo Pinto/AGPT
BLOG DA FOLHA

A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, reiterou, nesta quinta-feira (21), que a prioridade do partido é a aliança nacional com siglas de centro-esquerda e destacou que as movimentações da vereadora Marília Arraes (PT) não garantem a ela a candidatura ao Governo de Pernambuco pelo PT. Com discurso protocolar, a dirigente petista agradou tanto aos que defendem candidatura própria quanto aos que apoiam a aliança com o governador Paulo Câmara (PSB).

Gleisi acenou para que a correligionária pernambucana continuasse se movimentando, mas sem garantias. “Marília está fazendo movimentos dentro da construção da pré-candidata, mas que se o PT não assumir não será efetivo, não vão ajudar a construir a pré-candidatura. Fazer conversações todo mundo faz, mas isso passa por uma decisão partidária do diretório estadual, principalmente, do nacional”, declarou ela à uma rádio local.

A dirigente petista reafirmou que a prioridade do PT é a eleição do ex-presidente Lula, preso, e a determinação continua sendo pela aliança com PCdoB e PSB, de Paulo Câmara. “E isso vai ter, obviamente, consequência em todos os estados. Então, essas movimentações que se fazem agora, em pré-campanha, são todas preliminares e não dão ao partido nenhuma determinação de agir neste sentido”, avisou. Gleisi fez questão de pontuar, também, que a prioridade do partido para o Senado é Humberto Costa (PT), não o deputado federal Silvio Costa (Avante).

Nos bastidores, a leitura é que as movimentações de Marília são importantes para pressionar o PSB em relação à aliança, como um instrumento de barganha que não estaria totalmente descartada do jogo. A vereadora, todavia, trabalha com o senso de oportunidade.

Do lado aliancista, o ex-prefeito João da Costa (PT) ponderou que Gleisi “colocou ordem na casa” ao lembrar que a prioridade é pela construção de aliança. “Não pode ter decisão nacional desta (na resolução da Executiva nacional) e ela ser inviabilizada por causa de um estado”, afirmou. Já a deputada estadual Teresa Leitão (PT), pró-Marília, também classificou como positiva as declarações à tese de candidatura própria. Afinal, Gleisi deu uma sinalização em prol da movimentação, mas sem a certeza êxito. “Os pré-candidatos devem se mexer para dentro e para fora (do partido). Com este prazo, não dará tempo de se movimentar depois”, pontuou.