Cultura

LITERATURA – De que são feitos os dias? – Cecília Meireles

LITERATURA – De que são feitos os dias? – Cecília Meireles

De que são feitos os dias? – De pequenos desejos, vagarosas saudades, silenciosas lembranças. Entre mágoas sombrias, momentâneos lampejos: vagas felicidades, atuais esperanças. De loucuras, de crimes, de pecados, de glórias – do medo que encadeia todas essas mudanças. Dentro deles vivemos, dentro deles choramos, em duros desenlaces e em sinistras alianças…

MÚSICA – Quem sabe isto quer dizer amor – Milton Nascimento

MÚSICA – Quem sabe isto quer dizer amor – Milton Nascimento

MÚSICA Quem sabe isto quer dizer amor – Milton Nascimento

A SEMÂNTICA DO TESÃO: A LOLITA DE NABOKOV E O IMAGINÁRIO MASCULINO

A SEMÂNTICA DO TESÃO: A LOLITA DE NABOKOV E O IMAGINÁRIO MASCULINO

por Dante Donatelli Vladmir Nabokov (1899 – 1977) um dos grandes, senão o maior, escritores do século XX legou a nós a obra prima do desejo, confissão mais contundente de que homens maduros desejam mulheres mais jovens, e que elas, em fim de contas, também os desejam, mesmo que em meio a estultice e o […]

A exaustão emocional é bem pior do que o cansaço físico

A exaustão emocional é bem pior do que o cansaço físico

“Passamos a nos preocupar tanto com o que está lá fora, que acabamos nos esquecendo de ouvir o ritmo de nossa alma, de nosso coração.” por Marcel Camargo* A vida nunca foi fácil, mas parece que, ultimamente, as coisas pioraram bastante. Existem mais pessoas, mais lugares, mais histórias tendo que conviver juntas, mas as relações […]

O amor, a solidão e a tristeza de Alphonsus de Guimaraens, o mais místico dos poetas simbolistas

O amor, a solidão e a tristeza de Alphonsus de Guimaraens, o mais místico dos poetas simbolistas

O juiz e poeta mineiro Afonso Henriques da Costa Guimaraens (1870-1921), que adotou o nome de Alphonsus de Guimaraens, é considerado o mais místico dos poetas simbolistas, tendo em sua poesia as características marcantes dessa escola literária: o misticismo, a sugestividade, a musicalidade, os aspectos vagos e nebulosos, a sonoridade, a espiritualidade. Entre seus temas […]

Clássicos da literatura mundial: Hamlet

Clássicos da literatura mundial: Hamlet

     Hamlet é uma tragédia de William Shakespeare, escrita entre 1599 e 1601. A peça, situada na Dinamarca, reconta a história de como o Príncipe Hamlet tenta vingar a morte de seu pai Hamlet, o rei, executando seu tio Cláudio, que o envenenou e em seguida tomou o trono casando-se com a mãe de Hamlet. […]

MÚSICA – Gracias a la Vida – Por Mercedes Sosa

MÚSICA – Gracias a la Vida – Por Mercedes Sosa

MÚSICA Gracias a la Vida – Por Mercedes Sosa

Em defesa do romance – Mario Vargas Llosa

Em defesa do romance – Mario Vargas Llosa

    Incivilizado, bárbaro, órfão de sensibilidade e pobre de palavra, ignorante e grave, alheio à paixão e ao erotismo – um mundo sem literatura teria como traço principal o conformismo, a submissão dos seres humanos ao estabelecido. Seria um mundo animal. Muitas vezes me ocorre, nas feiras de livros ou nas livrarias, que um […]

Da velhice, só escapa quem já morreu – Ruth de Aquino

Da velhice, só escapa quem já morreu – Ruth de Aquino

    “Como a mulher e o homem confrontam os 60 anos? O filme da diretora Julie Gavras, exibido na mostra internacional de São Paulo, trata de envelhecimento. De como esconder ou assumir a idade. Aos 60 você se sente maduro, curioso e sábio ou velho, amargo e ultrapassado? O título do filme no Brasil […]

Erros e acertos de Picasso são vistos como poesia por Affonso Romano de Sant’Anna

Erros e acertos de Picasso são vistos como poesia por Affonso Romano de Sant’Anna

O jornalista e poeta mineiro Affonso Romano de Sant’Anna, no poema “Entrando no Museu Picasso”, aponta os erros que o artísta possuía tanto na pintura quanto no amor, constituindo-se em errância, numa extravagância de erros. ENTRANDO NO MUSEU DE PICASSO Affonso Romano de Sant’Anna Picasso erra quando pinta e erra quando ama. Mas quando erra […]