João Campos vê governo fragilizado: ‘não dialoga com ninguém’

Deputado federal João Campos

Deputado federal João CamposFoto: Brenda Alcântara/Folha de Pernambuco

Após a primeira derrota do governo Bolsonaro na Câmara Federal, com a aprovação do Projeto de Decreto Legislativo que suspende os efeitos do decreto do Executivo sobre dados sigilosos, o deputado federal João Campos (PSB) comentou sobre a crise política instalada no seio do governo Bolsonaro. Segundo o parlamentar, a derrota do governo nessa pauta tem relação com a crise política vivida pelo governo Bolsonaro. “É um momento de fragilidade do governo. A gente viu os parlamentares governistas batendo cabeça no plenário. A oposição dominou nas tribunas e consguimos empregar um ritmo acelerado”, relatou.

A proposta de Decreto Legislativo foi apresentada pela bancada do PSB na Câmara, elaborada pem conjunto entre João Campos e os deputados Danilo Cabral (PE), Aliel Machado (PR), Alessandro Molon (RJ) e também por Weliton Prado (Pros-MG), no primeiro dia da atual Legislatura, 4 de fevereiro. A matéria, agora, irá ao Senado.

João Campos criticou a falta de coesão e harmonia do Governo Federal. “É um governo que se elegeu sem apresentar um projeto pro país e agora a gente está vendo isso, pautas isoladas e uma falta de governo muito grande. Falta de sintonia e de um conjunto de ações estruturadas. tem pequenas ações isoladas e um governo disperso, disse. “É um governo em que cada ministro fala e apita uma coisa, cada um manda em uma coisa e não vemos um conjunto harmônico. É uma orquestra onde cada um toca num tom diferente. Não tem como ficar bom, né?”, frisou.

Segundo o deputado, a crise política pode influenciar, inclusive, na reforma da Previdência, por falta de diálogo com o Legislativo. “Acho que o governo, na semana em que vai pautar a reforma da Previdência na Casa, começa levando uma derrota grande, mostra que ele tem que ligar o sinal de alerta dele. Isso dificulta os interesses do governo. Um governo que não dialoga com o Congresso, que não dialoga com os partidos, não dialoga com ninguém. E quando não se dialoga tem derrota.

Folhape

Deixe uma resposta