Dilma retoma negociação de cargos com partidos aliados

Com o término da Semana Santa, a presidente Dilma Rousseff (PT) terá que retomar uma pauta bem indigesta: a negociação de cargos do primeiro escalão com os partidos aliados. É a chamada política do “toma-lá-dá-cá”. Nas primeiras mudanças, Dilma fortaleceu o PMDB e o PDT, atendendo as exigências feitas pelas bancadas. Resta saber se agora ela fará o mesmo com demais partidos que estão insatisfeitos.

A principal dúvida é em relação ao PR. O Palácio do Planalto já comunicou que Dilma vai conversar com o partido, que foi o primeiro a ser incluído na faxina de 2011. Antes mesmo do encontro, já há um impasse: a bancada quer indicar um deputado, mas o Planalto já informou ao PR que tem preferência pelo nome do ex-governador da Bahia, César Borges. Com a nova temporada de negociações, o PTB também já meteu o dedo no bolo e avisou que deseja um cargo na Esplanada dos Ministérios.

Por enquanto, a única coisa que parece certa para o Planalto é o convite ao vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, do PSD, para ocupar a recém-criada Secretaria da Micro e Pequena Empresa. Ao convidar Afif, Dilma pretende fazer uma aliança informal com o PSD.

O PT faz um cálculo pragmático: é melhor trazer essas legendas para a base governista para garantir um tempo ainda maior de televisão, em 2014, e com isso esvaziar as demais candidaturas, especialmente a do governador Eduardo Campos (PSB). Mas com popularidade elevada, resta saber se Dilma pretende entrar, de fato, numa agenda que ela mesma considera negativa.

Fonte: Blog do Camarotti.

Deixe uma resposta