Piada do Ano! Hacker diz que ninguém lhe encomendou nada e não lucrou com o crime

Resultado de imagem para walter delgatti neto

Delgatti acha (?) que será beneficiado pela legislação branda

Carlos Newton

O único depoimento do hacker Walter Delgatti Neto que até agora vazou para a imprensa, através do repórter Mahomed Saigg, do G1, é apenas um festival de desfaçatez e mentira. Com sua experiência ao ser interrogado em outras infrações criminais, o hacker conseguiu fugir das principais questões apresentadas no interrogatório. Sua estratégia é tentar que prevaleça não somente a versão de que ninguém lhe encomendou que invadisse os celulares do ex-juiz Sérgio Moro e dos procuradores da Lava Jato, mas também a versão de que nada recebeu para fazer o serviço criminoso.

Em tradução simultânea, Delgatti pretende que as autoridades acreditem que ele perdeu um tempo enorme e arriscou sua liberdade apenas para se divertir – “just for fun”, como dizem os ingleses, ou “pour épater la borgeoisie” (para impressionar a burguesia), como preferem os franceses…

PERDA DE TEMPO – Esse tipo de depoimento enganoso, dissimulado e embromador tem um encontro marcado com o fracasso. Significa apenas perda de tempo para o delegado federal e os procuradores encarregados do caso.

Enquanto vai enrolando o lero, Delgatti alimenta a ilusão de que seus parceiros na aventura cuidarão sigilosamente de sua defesa e libertação, além de guardar recursos para pagar  seu silêncio obsequioso, porque todos sabem que a pena da Lei da Cibernética é ridícula, o hacker sequer seria preso em regime fechado. A condenação é de prestar serviços comunitários.

UM PESADELO – Como todos sabem, sonhar ainda não é proibido, mas não demora e Delgatti vai despertar em meio a um pesadelo tenebroso, porque as autoridades não desistiram de arranjar uma maneira de enquadrá-lo na Lei de Segurança Nacional, ou dar outro jeito de agravar a pena da invasão dos celulares, incriminando-o também por formação de quadrilha e obstrução à justiça.

Por enquanto, tudo são suposições, porque o inquérito está apenas se iniciando e ainda faltam os dados principais, que é identificar se houve mandante ou se Delgatti agiu por si próprio; se realmente teve cúmplices e quais foram eles; e se foi pago para executar o serviço sujo.

FORA DA MIRA – Quanto ao jornalista norte-americano Glenn Greenwald, ele pode dormir tranquilo, porque até agora não há nada que o incrimine. Tem preparo e experiência, sabe que não infringiu a lei e, pelo contrário, está até se beneficiando de suas brechas.

A única ameaça concreta que pode haver contra Greenwald é se tiver recebido algum tipo de pagamento para publicar as reportagens, e esse fato restar provado. Fora isso, está limpo feito bundinha de bebê (depois do banho, é claro)

Deixe uma resposta