L I T E R A T U R A – SOLILÓQUIO SEM FIM E RIO REVOLTO – Jorge de Lima

L I T E R A T U R A

Resultado de imagem para SOLILÃ?QUIO SEM FIM E RIO REVOLTO - Jorge de Lima

Jorge de Lima

 

SOLILÓQUIO SEM FIM E RIO REVOLTO
Jorge de Lima

Solilóquio sem fim e rio revolto –
mas em voz alta, e sempre os lábios duros
ruminando as palavras, e escutando
o que é consciência, lógica ou absurdo.

A memória em vigília alcança o solto
perpassar de episódios, uns futuros
e outros passados, vagos, ondulando
num implacável estribilho surdo.

E tudo num refrão atormentado:
memória, raciocínio, descalabro…
Há também a janela da amplidão;

e depois da janela esse esperado
postigo, esse último portão que eu abro
para a fuga completa da razão.

Deixe uma resposta