Deixe um comentário

AÇÃO DA BONDADE EMBOLA 2014

Recebido aos gritos de “É presidente”, o governador Eduardo Campos (PSB) injetou ânimo nos 184 prefeitos pernambucanos ao anunciar, ontem, no primeiro dia do seminário de Gravatá, um pacote de bondades da ordem de R$ 600 milhões.

A medida mais festejada foi à criação de um fundo pelo qual o Estado repassará R$ 228 milhões aos municípios correspondentes a uma cota mensal do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) correspondente aos valores federais de cada município.

A respectiva cota será repassada em quatro parcelas e se destina exclusivamente a obras. “Com isso, os municípios poderão começar a movimentar a economia e a gerar renda e emprego”, disse o governador.

Pacientemente, Eduardo explicou uma a uma as medidas e ainda contou com a colaboração de recursos federais para rechear o pacote, através de convênios celebrados com o Ministério da Integração Nacional.

O pacote, por si só, salvou e transformou o encontro, que prossegue hoje, num grande diferencial do que foi promovido pela presidente Dilma, no início de janeiro.

Ali, os gestores municipais chagaram com a expectativa de que haveria compensação em relação às perdas do FPM, mas saíram de bolsos vazios e mãos abanando.

Mesmo os prefeitos não aliados do governador, como Júlio Lóssio (PMDB), de Petrolina, ficou sensibilizado e animado com o resultado do encontro. “O governador estendeu a mãos aos municípios”, disse Lóssio.

ASSESSORAMENTO– O prefeito de Caruaru, José Queiroz (PDT), era um dos mais animados com as medidas anunciadas pelo Estado. Segundo ele, o mais importante não é apenas a liberação dos recursos, mas a forma como o Governo vai atuar nos municípios. “Haverá um acompanhamento técnico direto por parte do Estado para que os municípios tenham sucesso na gestão dos recursos”, disse Queiroz.

Roubou a cena – Com um discurso firme, de conteúdo convincente e dosado com pitadas bem humoradas, o novo presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), José Patriota (PSB), prefeito de Afogados da Ingazeira, roubou a cena, ontem, no encontro de Gravatá. De todos os oradores que antecederam o governador foi o mais aplaudido.

Mancada da assessoria – O ponto falho do encontro de ontem em Gravatá ficou por conta da assessoria de comunicação do governador. O pacote de bondades foi anunciado sem que os jornalistas tivessem acesso ao conteúdo das medidas. Percebendo o ato falho, o governador chegou a dizer, antes de discursar, que iria tentar explicar. Só uma hora após o release foi entregue aos jornalistas.

Estranho no ninho – O senador Humberto Costa não estava nada à vontade, ontem, na volta ao convívio com a base governista no encontro de Gravatá. Mas foi tratado com distinção, tendo direito até a discursar. A sua fala, no entanto, foi muito mais no sentido de salvar a pele da presidente Dilma, que ficou mal com os prefeitos depois do esvaziado seminário em Brasília.

Na boleia – Deu no jornal O Globo: “Avessa a deixar parlamentares viajarem com ela no AeroLula, a presidente Dilma convidou petistas para acompanha-la a São Paulo para a festa do PT. Um deles, o líder na Câmara, José Guimarães (CE), aquele do assessor pilhado com dólares na cueca, já tinha comprado passagem”.

CURTAS

DE VOLTA– Os prefeitos cumprem, hoje, uma agenda extremamente técnica no segundo dia do seminário de Gravatá, mas o governador volta no final da tarde para o encerramento. Pela manhã, a estrela do encontro será o ministro da Integração, Fernando Bezerra Coelho.

MOVIMENTO– Anfitrião do encontro de Gravatá, o prefeito Bruno Martiniano (PTB) comemorava, ontem, os resultados econômicos obtidos pelo município: hotéis lotados, restaurantes apinhados de participantes do evento promovido pelo Governo do Estado.

Perguntar não ofende: Dilma deveria aprender a fazer encontro de prefeitos com Eduardo?

‘O pensamento do tolo é pecado, e abominável aos homens é o escarnecedor’. (Provérbios 24:9)

fonte:blogmagno

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: