Filha do bicheiro teve pai, marido e irmão assassinados

Os tiros que atingiram Shanna Harrouche Garcia, 34 anos, na terça-feira (8), no estacionamento de um shopping na Zona Oeste do Rio, não são o único episódio de violência envolvendo a família Garcia, historicamente ligada à contravenção e ao carnaval no Rio de Janeiro.

Shanna é um dos três filhos de Waldomiro Paes Garcia, o Maninho, contraventor e ex-patrono da escola de samba Acadêmicos do Salgueiro, assassinado em 2004, também na Zona Oeste.

Shanna e Tamara são gêmeas e tinham um irmão, Myro Garcia, que também foi assassinado em 2017. O primeiro marido de Shanna, conhecido como Zé Personal, também foi assassinado em 2011.

A família é proprietária de haras e fazendas com cavalos de raça e cabeças de gado, na Região Serrana do estado. Veja abaixo os crimes que envolvem a família.

Redes Sociais: haras e viagens

No Facebook, Shanna ostenta ‘selfies fazendo carão’, fotos de biquíni, dos dois filhos, em viagens e a paixão pelo hipismo – esporte que praticou durante alguns anos. Na última postagem pública, ela postou uma foto recordando a época em que participava de competições.

No perfil, Shanna diz que estudou na Faculdade Estácio. Ela curte páginas sobre hipismo, cavalos, haras e de alguns políticos, como as do ex-deputado estadual Rafael Picciani, do deputado federal Cacá Leão (PP/BA) e do ex-deputado federal Eurico Junior. A irmã gêmea, Tamara, não aparece na relação dos amigos da rede social.

Negócios e contravenção

Shanna Garcia é sócia de um bar e restaurante na Zona Sul do Rio e tem um haras com as iniciais do seu nome: SHG.

Depois da morte do pai, Shanna assumiu os negócios da família e também foi nomeada inventariante do espólio do pai, o que provocou uma briga com os irmãos.

Em 2011, a Operação Tempestade no Deserto, que tinha como objetivo desmantelar uma quadrilha de contraventores especializados em jogo do bicho no Rio, prendeu três pessoas. Na época, foram apreendidas joias, dinheiro, armas e três carros.

Segundo o MP-RJ, a quadrilha era integrada por um policial civil, quatro policiais militares e outras duas pessoas, liderada por Shanna Harrouche Garcia.

Como apurou a TV Globo, a polícia investiga a informação de que Shanna teria planos de retomar o controle de pontos do jogo do bicho que ela herdou do pai, mas que há anos são controlados pelo ex-cunhado dela, Bernardo Belo Barbosa.

Paixão pelo Salgueiro

Shanna estava na presidência executiva do Salgueiro ao lado do então marido, Rafael Alves, quando a chapa rival conquistou, em dezembro do ano passado na Justiça, o direito de comandar a escola.

Na época, o Salgueiro era presidido por Regina Celi, apoiada pela família Garcia.

No carnaval deste ano, Shanna foi vista na Marques de Sapucaí em um camarote da Riotur, com o marido, Rafael, que é irmão de Marcelo Alves, presidente da empresa de turismo.

Fonte:

g1/Rio de Janeiro – Foto: Reprodução/Redes Sociais

Deixe uma resposta