Para Bolsonaro, o resultado desta pesquisa Datafolha foi melhor do que se esperava

Resultado de imagem para pesquisa datafolha charges

Charge do Newton Silva (newtonsilva.com)

Carlos Newton

O resultado da última pesquisa Datafolha é bipolar e ambivalente, merece ser comemorado pela oposição e pela situação. Este é um dos fenômenos da Estatística, apresentada como uma ciência exata, como a Matemática, mas na verdade apresenta características de ciência social, cheia de pontos fora da curva.

PIOR AVALIAÇÃO – Por exemplo, quando o levantamento demonstra que, entre os presidentes eleitos para um primeiro mandato desde a redemocratização de 1985, Bolsonaro tem a pior avaliação após três meses de governo, fica parecendo uma tragédia. Mas na política as aparências geralmente enganam.

Diz o Datafolha que 30% dos brasileiros consideram o governo de Bolsonaro ruim ou péssimo, índice semelhante ao daqueles que consideram ótimo ou bom (32%) ou regular (33%) e não souberam opinar 4% dos entrevistados. Então, foi ruim ou bom para o governo?

DESCENDO A LADEIRA? – Os oposicionistas comemoram, dizendo que o governo já está descendo a ladeira. “Modus in rebus”, como dizem os juristas, em tudo deve haver um meio termo, há um limite para todas as coisas. Por enquanto, os petistas & Cia. não podem festejar nada, até porque, segundo o Datafolha, 59% ainda acreditam que ele fará uma gestão ótima ou boa.

Ou seja, entre esses 59% se incluem os 32% (“ótimo” ou “bom”) e mais 27% dos que estão considerando o governo como “regular”, mase acham que pode melhorar. Nada mal, indicando que, ao todo, apenas 36% desaprovam o governo – os 30% de “ruim” ou “péssimo”, com mais 6% dos que consideram regular, mas acham que pode piorar.

BOM RESULTADO – O chamado Princípio da Razoabilidade, que deve reger as relações humanas e costuma ser chamado de bom senso, indica que a popularidades de Bolsonaro não está nada mal. O placar de 59% a 36% pode até ser considerado extraordinário, levando-se em conta as bobagens que o presidente tem feito, com a colaboração insensata dos três filhos e de ministros como Paulo Guedes, Ernesto Araújo, Vélez Rodriguez, Damares Alves e Marcelo Álvaro Antônio, que realmente têm gabarito para derrubar qualquer popularidade.

Em função do permanente “fogo amigo” dessa entourage que  cerca Bolsonaro, deve-se considerar que o resultado da pesquisa Datafolha foi positivo, neste início de governo. Posso estar enganado, mas…

Deixe uma resposta