No reino da Mãe de Pantanha

comentarista   Por  Jose Adalberto Ribeiro  – Jornalista e escritor

MONTANHAS DA AL-JAQUEIRA – Agora eu sou comentarista de football. Na moral. Lá vou eu.

Torcer para a seleção da CBF pela televisão é para os fracos. Eu quero ver o cara torrar a poupança, deixar o emprego, brigar com a mulher e comprar um pacote turístico para assistir em Moscow os jogos da turma de Tetê Sant’Ana, o nome do técnico, se não me engano. Deu no noticiário global. Isto é que é patriotismo!

Se Zeus quiser a Seleção da CBF vai ganhar a copa do mundo. O técnico será glorificado, aclamado, louvado, exaltado. Com uma gorjetinha de 3,7 milhões de denários no mealheiro, os jogadores receberão honrarias como salvadores da pátria e irão desfilar em carro de bombeiros sob aplausos da multidão de devotos do reino encantado da mãe de pantanha.

Mas, se a CBF deixar de combinar a vitória com as outras 32 seleções e pintar uma zebra, o coitadinho do técnico Tetê Sant’Ana e os jogadores serão esculachados, escrachados, chamados de incompetentes, injuriados, massacrados.

O pobrezinho do Neymar, de cabelos fios de ouro, parafusos e arruelas de platina, será deletado pela namorada Bruna Marquezine. Milhões de brasileiros fazem promessas: oh padroeiro das platinas e dos fios de ouro, será que Bruninha love Neyzinho? Ele ainda degusta Marquezine?

A Confederação Brasileira de Futebol – CBF, tradicional antro de corrupção, é entidade privada amamentada pelos clubes de futebol (igualmente tradicionais antros de roubalheiras), por empresas privadas e conta com o patrocínio da Caixa Econômica Federal, o banco público mais incompetente e esbanjador de recursos do Brazil, com mais de 30 diretorias.

Durante um mês a Copa do Mundo e a seleção da CBF vão governar as emoções do Brazil. O presidente Temer já não governa e ainda mais agora vai governar com a região estomacal.

Ao final da Copa, o Brazil vai cair na gandaia durante uma semana ou entrar em ressaca. Aliás, a gandaia é um estado de espírito permanente, apenas varia de intensidade. Depois do clímax da gandaia ou da ressaca, seremos governados ate 7 de outubro, em primeiro turno, e 28 de outubro no segundo turno pelas ondas eleitorais, ondas vermelhas, infravermelhas, furta-cores, todas as frequências do arco-íris.

Lacradas as urnas, ao ser eleito o raio da silibrina ou a mãe de pantanha para a Presidência da República, Temer vai tocar o governo com a região estomacal até o fim do ano. Debaixo das tranças de Marcela, a bela, ouvirá uma canção de ninar para esquecer as amarguras do noivado do cordão azul com o cordão encarnado.

Se o mundo não acabar depois da copa de Fifa e da farra do Réveillon, os novos governantes irão proclamar a falência dos Estados e das Prefeituras no próximo ano.

Ao assumir a Presidência da República, o raio da silibrina vai invocar os poderes do Santo Padroeiro o Jeitinho, patrono nacional. O Brazil não tem jeito, o Brazil tem jeitinho. Estados e prefeituras serão governados pela mãe de pantanha, nos conforme das almas verdes-amarelas.

Deixe uma resposta