Governadores querem aumento de impostos

O aumento da atual carga tributária foi defendido nesta terça-feira (8) por governadores peemedebistas como alternativa para enfrentar a atual crise econômica e garantir um superávit primário no ano que vem. Em jantar com o vice-presidente Michel Temer, promovido em Brasília, os governadores do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Alagoas e Rondônia pregaram a recriação da CPMF, proposta abandonada pelo governo federalapós repercussão negativa de empresários brasileiros.

A ideia de aumentar a Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico), imposto cobrado por combustíveis, defendida pelo vice-presidente para evitar um deficit nas contas do governo federal, também foi pregada no encontro.

Em linha contrária, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), reconheceu que o cenário econômico é adverso, mas considerou que o aumento da carga tributária pode piorar o atual quadro de recessão do país. Além dos governadores, participaram da reunião ministros, senadores e deputados do PMDB.

“Apresentei a necessidade do retorno da CPMF e o governador do Rio Grande do Sul também, mas o presidente da Câmara dos Deputados acha que não é o momento adequado.”, disse o governador de Rondônia, Confúcio Moura.

Segundo relatos de presentes, a elevação da Cide foi defendida pelo governador de Alagoas, Renan Filho, e pela ministra da Agricultura, Kátia Abreu. Ela sugeriu ainda a recriação da CPMF pelo período de um ano, como forma de amenizar os efeitos da crise econômica.

Em consenso, os ministros e governadores pregaram a necessidade de uma reforma da previdência e dos cortes de gastos realizados pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.