Deixe um comentário

Quinto acusado de matar alemã em Pernambuco é julgado nesta quarta-feira

O quinto acusado da morte da turista alemã Jennifer Kloker, Alexsandro Neves dos Santos, será julgado nesta quarta-feira (27) no Fórum de São Lourenço da Mata, em Pernambuco. A jovem foi morta a tiros na noite do dia 16 de fevereiro de 2010, na altura do km 97 da BR-408, no município. Ela estava na cidade com a família por conta do Carnaval.

Alexsandro Neves é acusado de homicídio e deveria ter ido a julgamento em dezembro de 2012, junto com os outros acusados pelo crime – Delma Freire, Ferdinando e Pablo Tonelli e Dinarte Dantas. O advogado responsável pela defesa dele não compareceu ao fórum, impedindo o direito do réu a ampla defesa, por isso o julgamento foi adiado para este ano.

Os outros acusados pela morte da turista já foram julgados e condenados. A pena de Delma Freira, sogra da alemã, foi de 32 anos (30 de reclusão e 2 de detenção). Pablo e Ferdinando Tonelli, foram condenados a 25 anos e 6 meses, cada. A pena de Dinarte Dantas foi de 14 anos e quatro meses de reclusão.

Leia mais notícias de Cidades

O juiz José Wilson Soares Martins presidirá a sessão. O julgamento terá inicio às 8h30 e serão ouvidas as testemunhas de defesa e acusação. André Rabelo e Ana Cláudia Walmsley são os promotores do caso.

No início da sessão, haverá a escolha dos sete jurados entre os 25 convocados, o depoimento das testemunhas de acusação e o interrogatório do réu. Após os depoimentos, será iniciado o debate entre a promotoria e a defesa. Cada parte terá uma hora e trinta minutos. Em seguida, pode haver réplica do MPPE e a tréplica da defesa, que garantem mais uma hora para cada.

Relembrando o caso:

16 de Fevereiro de 2010

A alemã Jennifer Kloker, de 22 anos, é assassinada por volta das 22h15, na BR-408, no município de São Lourenço da Mata, Grande Recife. Segundo a família, dois homens em uma moto encostaram no veículo onde Jennifer estava com o marido (Pablo Tonelli), os sogros (Ferdinando Tonelli e Delma Freire) e o filho de 2 anos. Os supostos ladrões, então, teriam obrigado a família a sair do carro e entregar todos os pertences. Um dos bandidos teria levado Jennifer no automóvel e o outro seguiu de moto. A jovem foi encontrada morta às margens da rodovia.

19 de Fevereiro de 2010

A versão de assalto é desmontada logo após divulgação dos dados fornecidos pelo GPS (localizador via satélite) do carro locado pelos parentes da vítima. Um dos principais indícios obtidos pela polícia contra a família Tonelli vem do GPS do Gol alugado pela família. O sistema de localização mostra que o carro fez trajeto diferente do informado à polícia por Pablo Tonelli.

21 de Fevereiro de 2010

Justiça suspende os passaportes de Pablo Tonelli, Ferdinando Tonelli e Delma Freire, que
ficam proibidos de sair do Brasil até o fim das investigações.

23 de Fevereriro de 2010

O sogro da vítima, Ferdinando Toneli, e o marido, Pablo Richardson Tonelli, são presos suspeitos de envolvimento na morte de Jennifer. Além das contradições nos depoimentos dos envolvidos, polícia descobriu que era turbulenta a relação de Jennifer e Pablo na cidade de Coriano, na província de Rimini, na Itália. A alemã havia prestado queixa por agressão contra ele. A acusação foi retirada logo depois.

 

12 de Março de 2010

A cunhada da alemã Jennifer Kloker, Roberta Freire, presta depoimento à polícia. Brasileira radicada na Itália, ela abrigou Jennifer quando a alemã teria sido expulsa de casa por Pablo em 2009. Roberta foi considerada testemunha chave na investigação do caso. Rompida com a família Tonelli e ameaçada de morte, ela ficou sob os cuidados do programa de proteção a testemunhas. Polícia divulga detalhes do depoimento de Roberta Freire, entre eles os inúmeros golpes praticados por sua mãe. Ela declarou que Delma nunca se deu bem com Jennifer.

15 de Março de 2010

Um ex-presidiário de 26 anos que, no início da tarde do dia 15 de março se apresentou como um dos participantes do assassinato e sustentou essa versão, horas depois assumiu ter recebido uma oferta de R$ 20 mil da sogra da vítima, Delma Freire, para confessar o crime. Ele teria procurado o advogado de defesa da famíla Tonelli, Célio Avelino, de quem teria recebido orientações de como proceder perante o interrogatório da polícia. O ex-presidiário está no programa de proteção à testemunha.

16 de Março de 2010

Advogado de defesa Célio Avelino nega as acusações e disse não saber se Delma teria pago o valor. A sogra de Jennifer também negou o seu envolvimento no crime. A sogra da turista alemã, Delma Freire, é presa no escritório do advogado dos Tonelli, Célio Avelio. A prisão acontece um mês depois que Jennifer Marion Kloker foi encontrada morta, em São Lourenço da Mata.

A filha de Delma Freire, Roberta Freire, recebe autorização para ficar com o sobrinho de 3 anos, que é filho da turista alemã Jennifer Kloker. Pablo Tonelli, pai da criança, assina um documento autorizando o menino a ficar com a tia.

17 de Março de 2010

Polícia prende o quarto suspeito e envolvimento no crime. Alexsandro Neves dos Santos, de 35 anos, teria sido contratado para executar a alemã por R$ 5 mil. Ele é vigilante, mas na época estava desempregado. Conhecido como Sandro, o acusado só chegou a receber R$ 2,5 mil pelo crime.

19 de Março de 2010

Os quatro suspeitos de envolvimento na morte da alemã Jennifer Kokler – Pablo e Ferdinando Tonelli, Delma Freire e Alexsandro Neves dos Santos – prestam depoimento à Polícia. Também prestou depoimento o advogado Célio Avelino (afastado do caso), que defendia os Tonelli.

20 de Março de 2010

Alexsandro Neves, Pablo e Ferdinando Tonelli admitem suas participações no crime em depoimento. O primeiro a confessar é Sandro, na madrugada de quinta-feira, após horas de depoimento, quando inicialmente negou ter atirado na vítima. O filho e o suposto marido de Delma o seguem.

25 de Março de 2010

Polícia realiza reconstituição do crime. Alexsandro, Pablo e Ferdinando Tonelli ajudaram a polícia a refazer o passo a passo do crime para esclarecer as últimas dúvidas. A delegada Gleide Ângelo fez o papel de Delma, e uma comissária chamada Fabiane atuou como a vítima. O delegado Alfredo Jorge saiu afirmando que não restava dúvida de que Delma foi a mandante do crime.

21 de Julho de 2011

O resultado do primeiro exame de sanidade mental de Delma Freire é divulgado depois de o laudo ter sido adiado por uma semana. Dois psiquiatras forenses – Feliciano Abdon e Gilberto Walter Moura – concluíram que ela não sofre de distúrbios e pode responder por seus atos. Com isso, estava mantida a data de 27 de julho para o júri popular dos acusados, com exceção de Dinarte Medeiros.

6 de Agosto de 2012

O juiz Djaci Salustino de Lima, que desde o início do caso Jennifer Kloker era o titular da Vara Criminal de São Lourenço da Mata, recebe promoção para assumir outra vara. A juíza Marinês Marques Viana passa a comandar a unidade de São Lourenço e será a responsável pelo julgamento dos acusados de matar a jovem.

Novembro de 2012

É divulgada a data de início do segundo júri popular dos acusados no caso, 10 de dezembro. Desta vez, além de Delma Freire, Pablo Tonelli, Ferdinando Tonelli e Alexsandro Neves, Dinarte Dantas de Medeiros será julgado no Fórum de São Lourenço da Mata.

Fonte: NE10

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: