Ter um cachorro reduz riscos de morrer, diz pesquisa

Em comparação a quem não é tutor do animal, chances diminuem em 24%

Ter um cachorro reduz riscos de morrer, diz pesquisa Foto: Pixabay

Uma pesquisa publicada nesta terça-feira (8) mostra que a convivência com cachorros está associada a menores riscos de morte. De acordo com o estudo divulgado na revista Circulation, da American Heart Association, a chance de tutores de cães morrerem por qualquer causa de saúde é 24% menor.

Considerando o risco de morte por problemas cardíacos, a redução é de 31%. Para fazer uma revisão, os autores estudaram quase 4 milhões de pessoas nos Estados Unidos, Canadá, Escandinávia, Nova Zelândia, Austrália e Reino Unido.

OUTRO CASO
Na mesma revista científica, em 2017, outro levantamento mostrou que pessoas que convivem com cães têm melhores resultados de saúde após sofrerem um ataque cardíaco ou AVC. O estudo, nesse caso, foi feito com suecos.

O benefício foi maior para tutores que moravam sozinhos.

– Nós sabemos que a solidão e o isolamento social são fortes fatores de risco para morte prematura e nossa hipótese era que a companhia de um animal de estimação pode aliviar isso – afirmou Mwenya Mubanga, um dos autores.

Ele lembra que pessoas sozinhas precisam fazer todos os passeios com o animal e que a atividade física é importante para a reabilitação em casos de infarto ou AVC.

Apesar dos benefícios constatados, os dois estudos são observacionais, ou seja, os pesquisadores não podem provar que a guarda dos cães seja a causa direta dos resultados. Mas essas pesquisas podem ser úteis em estudos futuros.

*Folhapress

Deixe uma resposta