Diplomata palestino prefere a embaixada brasileira em Jerusalém Oriental

Conflito enorme à vista: Bolsonaro diz que vai transferir embaixada do Brasil de Tel Aviv para Jerusalém

Crianças sacodem a bandeira palestina na casa abandonada

Camilla Venosa
Correio Braziliense

Ao comentar a intenção do presidente eleito Jair Bolsonaro de transferir a embaixada brasileira em Israel para Jerusalém, o embaixador da Palestina no Brasil, Ibrahim Alzeben, disse confiar no equilíbrio por parte do novo governo federal, que toma posse no próximo 1º de janeiro.

“Não perdemos a esperança de que vai existir bom senso por parte do novo governo. Essa mudança seria uma afronta às resoluções da ONU e ao direito internacional. É um tema delicado”, afirmou Alzeben ao Correio.

EXEMPLO DOS EUA – Bolsonaro anunciou a intenção de seguir o exemplo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e mudar a embaixada de cidade, reconhecendo assim Jerusalém, alvo de disputa entre israelenses e palestinos, como capital do Estado judaico. Alzeben alegou não acreditar que o Brasil vá contrariar acordos internacionais. “O ponto de vista palestino é o ponto de vista da ONU, que redige as regras do convívio internacional”, ressaltou.

O embaixador disse também acreditar que ainda é possível manter diálogo com Bolsonaro e chegar a uma solução que também contemple o ponto de vista palestino. “Temos dois meses para conversar e estabelecer nosso ponto de vista. Existem duas Jerusaléns. Vemos com bons olhos que a embaixada do Brasil em Israel fique na Jerusalém Ocidental e que a embaixada brasileira na Palestina fique na Jerusalém Oriental”, que consideramos como capital da Palestina.

Mais cedo, Alzeben chegou a duvidar da intenção de Bolsonaro, divulgada primeiro pelo jornal Israel Hayom. “Eu não posso ter como fonte um país que reprime o meu povo, que não permite que tenhamos o nosso território. São fake news de Israel para criar polêmica”, disse, antes de se convencer que Bolsonaro realmente dera as declarações ao jornal israelense.

Deixe uma resposta