Estudo reúne termos publicados pelos presidenciáveis e mostra diferenças entre eles

Lula e Alckmin têm estratégias mais profissionais; Bolsonaro e Ciro falam de eventos, e Marina fala da crise

Um grupo de pesquisadores da Universidade Federal do Paraná (UFPR) está estudando os perfis oficiais no Facebook dos cinco pré-candidatos à Presidência da República mais bem colocados nas pesquisas. O trabalho consiste em contabilizar os principais termos escritos por eles em suas postagens. Na última semana, ocorreu a primeira finalização de dados, relativa às postagens feitas pelos presidenciáveis em maio. O resultado revela parte das estratégias usadas por eles nas redes sociais.

No caso do ex-presidente Lula (PT), mantido como pré-candidato pelo PT a despeito da condenação em segunda instância, a contagem mostra o quanto sua pré-campanha e os perfis estão voltados para a sua defesa.

— No caso do Lula, o conteúdo é muito personalizado na figura dele, dada à característica de estar preso — analisa o pesquisador Emerson Cervi, ao explicar que, em maio, as principais palavras mencionadas na página oficial do ex-presidente são “Lula”, “presidente”, “Brasil” e “Curitiba”.

— No jingle, embora tenha a bandeira do PT, o partido está em segundo plano. A figura do Lula, o personagem, é mais forte que a legenda — diz.

Para o pesquisador, as redes do ex-presidente mostram um trabalho profissional, semelhante à campanha do tucano Geraldo Alckmin.

— É possível perceber algumas diferenças de estratégias, algumas dizem respeito à forma. Nas páginas do Alckmin e do Lula há muita produção e profissionalização — Cervi.

Os termos mais publicados nas redes de Alckmin mostram o quanto os seus esforços estão voltados para a preocupação com a crise econômica. Entre as principais palavras escritas pelo tucano estão: “educação”, “país”, “oportunidade” e “emprego”.

As palavras mais escritas nas páginas de Jair Bolsonaro (PSL) e do pedetista Ciro Gomes também mostram que a maioria das postagens em seus perfis tem como objetivo atrair o público para agendas e eventos. No caso de Bolsonaro, as palavras mais publicadas foram: “youtube”, “link”, “Bolsonaro” e “imprensa”. Já no de Ciro são “ao vivo”, “Ciro”, “acompanhar” e “aqui”.

— Bolsonaro e Ciro têm usado as páginas chamando para as atividades de campanha fora das redes. Ciro, principalmente, usa muito o Facebook para falar de lives ou para replicar entrevistas. O Bolsonaro é a mesma coisa. É mais chamar para fora da rede.

A pré-candidata da Rede, Marina Silva, também evidencia nas postagens algumas de suas antigas bandeiras e uma preocupação com a crise econômica. As principais palavras escritas por ela são: “país”, “Brasil”, “educação” e “emprego”.

O pesquisador Emerson Cervi diz que o grupo continuará compilando as palavras mencionadas até depois da eleição para produzir uma análise dos políticos e seu uso das redes ao longo do tempo:

— Vamos acompanhar de agora até o final da campanha para depois trabalhar o que foi produzido pelos candidatos, por quem comentou e o que foi produzido pelos meios de comunicação.

 

Deixe uma resposta