Suplente de Marcelo Siciliano disse estar tranquilo sobre investigações do caso Marielle

Marcelo Piuí prestou depoimento nesta quinta na DH sem a presença de advogado

Depois de prestar depoimento por quatro horas, na Delegacia de Homicídios (DH) da capital, a respeito dos assassinatos da vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes, Marcelo Piuí, suplente do vereador Marcelo Siciliano (PHS), disse estar tranquilo sobre as investigações. Sem a presença de um advogado, ele depôs a respeito de sua relação com Marielle e com os investigados Marcelo Sciliano e Domingos Brazão:

– Me perguntaram sobre a minha relação com a vereadora e com o deputado. Na grande maioria, a resposta foi negativa. Vamos aguardar a investigação, que está ocorrendo em sigilo. Não há necessidade de advogado — disse.

Ao chegar para prestar depoimento, no início da tarde, Piuí parecia estar surpreso por ter sido intimado. Antes de entrar na delegacia, ele falou com jornalistas que “nunca tinha ouvido falar na vereadora”. O sulpente de verador falou ainda que sua relação com Siciliano é apenas “cordial” e negou ter qualquer envolvimento com o ex-conselheiro do TCE Domingos Brazão, que também foi chamado para prestar depoimento. Brazão, no entanto, pediu para remarcar seu depoimento:

— Todos os politicos se conhecem, quem não o conhece (Brazão) em Jacarepaguá? Só tenho relação politica com ele, apenas isso — afirmou.

Nesta quinta-feira, dia em que o assassinato de Marielle e do motorista Anderson Gomes completa três meses, o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL) deixou, pela manhã, em seu perfil pessoal no Twitter, uma mensagem cobrando a solução para o caso. Os dois foram vítimas de uma emboscada no dia 14 de março, e a polícia suspeita de que a motivação para o crime foi política.

De forma carinhosa, Freixo lembrou sua relação próxima com Marielle, que, antes de se tornar a quinta vereadora mais votada da cidade, foi assessora do parlamentar na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), durante a CPI das Milícias. “Sempre andamos juntos, lado a lado. Não tem barbárie que nos separe. Vi de perto as mudanças na sua vida, no seu pensamento, no seu cabelo, nos seus sonhos. Amor e orgulho não se separavam diante dessa menina”, observou o deputado.

Deixe uma resposta