Jungmann deixa PPS: críticas ao “senhor presidente”

 Por Inaldo Sampaio – Coluna Fogo Cruzado

O ministro Raul Jungmann (Segurança Pública) enviou carta nesta quarta-feira (21) ao presidente regional do PPS, Manoel Carlos, pedindo desligamento do partido por não concordar com a forma como está se dando a filiação do deputado federal Daniel Coelho (PSDB).

Jungmann critica a maneira pouco democrática como está sendo feita esse processo e faz duras críticas ao (ex-amigo) Roberto Freire ao lado de quem militou no PPS desde a sua fundação.

Veja a íntegra da carta:

Brasília, 21 de março de 2018

À direção, amigos, amigas, companheiros e companheiras do PPS

I- Hoje estou me desligando do meu e do nosso partido, ao qual servi integralmente nos últimos 26 anos, desde sua fundação. Na verdade, rompo hoje uma relação que vem de muito antes, desde o início dos anos 70, tempo da resistência democrática, portanto, mais de 40 anos da minha vida pessoal e pública.

II- Ao longo dessas mais de quatro décadas, exerci três mandatos de deputado federal e um de vereador do Recife, tendo disputado seis eleições.

III- Com muita dignidade e honra, representei nosso partido nos mais altos cargos da República, tendo sido, dentre outros postos (*), ministro da Reforma Agrária, da Defesa e já agora da Segurança Pública. Em todos eles, honrei o nome, os princípios e os valores do PPS.

IV- Exerci ainda, e com aplicação, cargos nas estruturas partidárias municipal, estadual e nacional, cumprindo sempre e no limite das minhas capacidades, os encargos, missões e responsabilidades a mim atribuídas ou delegadas.

V- Desligo-me do partido, meu único partido ao longo de toda minha vida pública (**), por discordar da forma pela qual se deu a entrega do seu comando partidário aos que nele ingressarão, uma forma autoritária, que desconsiderou instâncias, sem transparência e ao arrepio da democracia interna.

VI- Chegou-se ao cúmulo do arbítrio de impedir e retirar membros indicados da delegação do Estado de Pernambuco ao Congresso Nacional do partido e substituí-los ao sabor das preferências do senhor presidente nacional (Roberto Freire), sem qualquer comunicação à direção estadual!

VI- Nada temos a opor à entrada de novos quadros no partido; aliás, ela se faz necessária diante dos desafios à frente. Mas, à custa do respeito e história dos que fazem e fizeram o PPS, é inaceitável e humilhante.

VII- Sigo na política, escolha de vida inafastável dos meus sonhos por um mundo mais justo e de paz. Foi apenas pelas responsabilidades e riscos de assumir a segurança pública do Brasil nesse grave momento de crise, que declinei de participar das eleições, exclusivamente, este ano.

VIII- Aos que permanecem, meus melhores votos de felicidade, sucesso e paz.Jamais imaginei que esse dia viesse ao meu encontro.

IX- Saudações democráticas e de eterno carinho e amizade. Muito obrigado a todos e a todas.

Raul Jungmann

(*) Secretário Estadual de Planejamento, Presidente do Incra, Presidente Nacional do Ibama, Presidente do Conselho de Administração do BNDES.

(**) Fui, como muitos, membro do MDB durante a resistência democrática.

Deixe uma resposta