Protótipo de urna que custou R$ 7 milhões pode trazer complicações para Gilmar Mendes

Protótipo de urna que custou R$ 7 milhões pode trazer complicações para Gilmar Mendes

Em contrato assinado por Gilmar Mendes, presidente do TSE, R$ 7 milhões foram repassados a Flextronics Instituto de Tecnologia.

A empresa deveria prestar “serviços técnicos especializados para a criação de um novo modelo de urna eletrônica”.

O contrato foi assinado sem licitação.

Segundo O Antagonista, o contrato traz cláusulas que chamam atenção de especialistas, “como o pagamento de diárias do contratado e a liberação de pagamento (R$ 1,7 milhão) pela simples entrega de um “plano de trabalho”.”

O Flextronics Instituto de Tecnologia pertence ao empresário Jorge Eduardo Suplicy Funaro, filho de Dilson Funaro, ex-ministro da Fazenda de José Sarney.

Deixe uma resposta