Aécio quer lista fechada só para a próxima eleição

BARRADOS NO BAILE, PULAM PELO ESCURO

O Globo – Maria Lima

Depois de uma conversa com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, no fim de semana, o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), comunicou nesta quarta-feira que discutirá no partido, a partir da próxima semana, um avanço na reforma política. A iniciativa refere-se à apresentação de uma proposta que prevê a adoção do sistema de lista fechada de candidatos por partido, exclusivamente para a próxima eleição, com financiamento público. Esse sistema, segundo Aécio defende, migraria para o voto distrital misto para as eleições seguintes.

A proposta contraria a posição de Fernando Henrique, que se posicionou contra a lista fechada, argumentando que tem “cheiro de impunidade” e tinha como objetivo facilitar a reeleição dos parlamentares, muitos alvos da Lava-Jato, evitando assim a perda do foro privilegiado. Essa diferença foi tema da conversa com Aécio, que agora irá debater a proposta com o partido.

Sobre as críticas de possíveis interpretações sobre proteção dos envolvidos na Lava-jato, em 2018, Aécio disse que vai colocar a proposta para que ela seja debatida. O senador disse que o primeiro passo é aprovar na Câmara a PEC de sua autoria, com o senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), que institui cláusulas de barreira.

Ele diz que, não sendo possível voltar ao financiamento privado, é preciso fazer a lista fechada, com o fundo público, e depois migrar para o distrital misto.

— O povo quer voltar ao financiamento privado? Não. Alguém vai ter que pagar. Quem sabe essa proposta seja uma saída salomônica, equilibrada, não seja uma lista fechada definitiva — defendeu Aécio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.