Explicando a idéia da concepção de sua arte

CAPA DO MEU LIVRO

Foto de Rodrigo Santiago.

Por  *RODRIGO SANTIAGO

Concebi a arte da letra grega Pi fundindo-se ao número 8 deitado, que representa o infinito – aliás, a letra Pi também conota o número arábico 80, sendo certo que ambos os seus algarismos, por sua grafia e simbolismo, também conotam o infinito.

Pi é um número infinito que resulta do quociente entre o perímetro e o diâmetro de uma circunferência.Pi ao quadrado era – e ainda é – minha gata Pipi.

O rabo do gato (da constelação de Ursa Menor, que abriga a estrela Kochab – um sinal que vi no céu pouco antes de minha gata adoecer – que chamou-me a atenção por sua vívida magnitude e intenso brilho) compõe a letra Pi.

A idéia inicial da concepção da capa surgiu fortuitamente (acaso ?) ao olhar de soslaio para uma capa de couro de um cardápio de um restaurante boliviano que costumo frequentar – a distorção súbita da percepção da realidade fez com que meus olhos enxergassem ali uma imagem que nunca existira: a do cogumelo nuclear; na verdade tratava-se de uma árvore desenhada no couro.

Onde agora na capa em sua forma final de arte está o gato originalmente deveria também estar uma árvore, talvez sobrepondo-se àquela imagem, simbolizando o cogumelo nuclear “ao avesso”, reposicionando em seu devido lugar a fidelidade da originalidade da imagem que ensejou a idéia apriorísticamente, mas que eu não fora capaz de enxergar de imediato; obviamente reposicionando em termos da originalidade da idéia; não em termos de seu posicionamento correto no mundo real tal qual o conhecemos, já que uma árvore jamais viveria no céu de ponta cabeça.

As letras do título são construídas em formato dos 8 trigramas ou hexagramas do I Ching – mais uma vez remetendo ao número oito.

Como expliquei, a idéia original/ inicial era fazer o cogumelo nuclear orientado para cima e uma árvore com frutos orientada para baixo da letra Pi (que os uniria), mas julguei que a imagem da constelação-gato sobrepondo-se à imagem de uma árvore iria tornar a comunicação visual meio ” suja”, dificultando a conciliação de ambas as imagens, a fim de dar-lhes a significação que eu pretendia.

A concavidade e convexidade também vem do I Ching / bandeira da Coréia do Sul.As maçãs ocupam o lugar na árvore-gato-constelação em que localizam-se as estrelas que compõem a Constelação de Ursa Menor, à exceção da estrela Polar, eclipsada pelo entrecruzamento dos diversos planos da côncavo-convexidade, do número 8 (ou letras “O”), da letra Pi e dos dois mundos/ cenários que se diferenciam na única imagem, opostos, mas ao mesmo tempo partes de uma indissoluta realidade – talvez vida e morte.

A estrela não contemplada com uma maçã na árvore-gato é, obviamente, a Kochab, onde acredito estar a Pipi juntamente com o meu coração, que ela me devolverá quando novamente nos revermos na eternidade.

*Escritor e poeta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.