LETRAS NO CAMINHO

A importância dos conhecimentos prévios no processo de leitura

por Natanael Lima Jr
A leitura está presente em nossas vidas desde o momento em que começamos a compreender o mundo à nossa volta. O desejo permanente de decifrar e interpretar o sentido das coisas que nos rodeiam, de perceber o mundo sob diversas visões.
A prática da leitura não corresponde apenas a uma simples decodificação de símbolos, mas, significa de fato interpretar e compreender o que se lê. A leitura precisa permitir que o leitor apreenda o sentido de texto, não podendo transformar-se em mera decifração de signos linguísticos sem a compreensão semântica dos mesmos.
Nesse processamento do texto, tornam-se imprescindíveis também alguns conhecimentos prévios do leitor: os linguísticos, correspondentes ao vocabulário, as regras da língua e o seu uso; os textuais sobre o conjunto de noções e conceitos do texto e textualidade; e os de mundo, ao acervo de conhecimento pessoal do leitor. Assim, podemos afirmar que esses diversos tipos de conhecimentos estão em plena  interação. Logo, percebemos que a leitura é um processo interativo.
Para o professor Leonardo Boff, cada um lê com os olhos que tem e interpreta onde os pés pisam. Todo ponto de vista é a vista de um ponto. Para compreender o que alguém lê, é necessário saber como são seus olhos e qual é a sua visão de mundo. Isto faz da leitura sempre uma releitura.
Portanto, a partir dessas reflexões acima expostas, poderemos compreender e refletir sobre o relacionamento leitor/texto. Assim, além das questões já referidas, é vital que o leitor esteja comprometido com sua leitura para que possa levar para esta prática toda sua vivência pessoal, suas emoções e expectativas. 
*Natanael Lima Jr é poeta, pedagogo e editor do Domingo com Poesia
Tanga
Ferreira Gullar
 
 
Havia o que se via
e o que não se via:
                           a manhã luminosa
encobria a treva
abissal e velha dos espaços.
                                          O mar batia
em frente à Farme de Amoedo e ali
                                                     na areia
a gente mal o ouvia se o ouvia.
E era então que ela de súbito surgia
                              rindo entre os cabelos
                              a raquete na mão
e se movia
                  ah, como se movia!
E essa translação nos descobria
suas fases solares:
                        o ombro
                        o dorso
                        a bunda
lunar?
estelar?
                 a bunda
                 que (sob uma pétala
                 de azul)

celeste me sorria.

Sobre abril e signos
Frederico Spencer
Imagem: Reprodução
 
 
 
 
Sobre abril
áries
um terço touro
na constelação
marte
no carrossel
do meu caderno
signos
do tempo
prisioneiros.
Sobre o tempo
chumbo,
o alumínio
e concreto:
baionetas
dançavam
os que não.
(In Abril Sitiado, 2011, p. 34)
Blue
Marco Polo
A Cida Pedrosa
Imagem: Reprodução
 
 
 
 
 
Com Eric Clapton, um branco,
aprendi um pouco de blue;
o toque mínimo da guitarra,
a busca de perfeição.
Aprendi que música não tem pressa
e o tempo
é uma coisa a ser tecida.
Com Robert Johnson, um preto,
aprendi um pouco de blue;
que música é outra maneira de dizer silêncio.
Aprendi que só valem a pena as palavras
Que mudem a cor do dia.
(In A superfície do silêncio, 2002, p. 27)
Poema vago olhando a cidade
Juareiz Correya
 

Imagem: Reprodução
 
 
 
 
 
Minha cidade

ficará gravada

num poema lívido e vago.
Não será preciso citar becos e ruas
inevitáveis em sua anatomia.
Nem correr com a memória
as lembranças e os minutos de agora.
Minha cidade
não será vista
num poema sentimental.
Conservarei oculto até o seu nome
neste poema
de amor silente
às suas coisas, a ela mesma.
(In Americanto Amar América e outros poemas do século 20, 2010, p. 15)
Canção do amor maior
José Terra
Imagem: Reprodução

 

 
 
 
Uma luz
Feita de vento e vinho
Eis minha manhã

Um povo
Feito de verde e verso
Eis minha tarde

Uma mulher
Feita de valsa e violeta
Eis minha noite

Minha poesia e tua poesia

Eventos Literários

II ENCONTRO DE ESCRITORES DO SENAI DE CARUARU
 
I SEMANA LITERÁRIA “PAIXÃO PELA LEITURA”
22 A 26 DE ABRIL – AUDITÓRIO DA FACULDADE METROPOLITANA
A I Semana Literária – Paixão Pela Leitura será realizada no período de 22 a 26 de abril de 2013, com ênfase na interdisciplinaridade, envolvendo as Escolas de Educação e Comunicação da Faculdade Metropolitana da Grande Recife, com o compromisso de contribuir significativamente para a formação dos educadores, e assim, para a construção de uma nova escola e uma nova sociedade.
FONTE:DOMINGOCOMPOESIA

Deixe uma resposta