André Campos: “Não tenho motivação para sair do PSB”

Convidado a ingressar no Solidariedade para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa de Pernambuco, no próximo ano, o presidente da Pernambuco Participações e Investimentos S/A (Perpart), André Campos (PSB), negou nesta manhã que tenha tido uma conversa definitiva com o Diretório Estadual da legenda sobre este assunto, embora tenha admitido ter recebido o convite.

“Nunca conversei com Augusto Coutinho e Alberto Feitosa sobre minha ida para o Solidariedade. Teve apenas um convite na frente do governador Paula Câmara, no Palácio das Princesas, antes mesmo da Perpart. Mas não tem nada definido. Estou muito satisfeito dentro do PSB. Hoje eu não tenho motivação para mudar de partido”.

Sobre o quadro político em Pernambuco ele considerou confuso e disse que não será candidato em 2018 a qualquer custo, embora tenha o desejo de retornar ao legislativo estadual. André continua empenhado no seu papel de articulador do Palácio das Princesas e tem mantido contato, principalmente com a Assembleia Legislativa. “Deixo a secretaria, mas todos os dias estou no Palácio, após o expediente da Perpart. Continuo procurando ajudar o governador Paulo Câmara na articulação”.

Sobre o processo eleitoral de 2018, ele acredita que será uma eleição atípica, com poucos recursos. “Como será essa questão do fundo partidário e do fundo eleitoral? Os caciques vão definir? Vai ter recurso para o pequeno candidato? Acho que é a campanha mais complicada em relação à questão financeira”.

“A gente retrocedeu, porque este Congresso não legisla. Quando a gente dizia a Dr. Ulisses Guimarães que o Congresso era muito ruim ele mandava a gente esperar o próximo. O que se percebe é que vamos fazer uma lei eleitoral pré-datada, que só proíbe coligação daqui há dois anos. Isso é brincadeira. Eles estão brincando com o povo brasileiro em todos os sentidos”, criticou, ao acrescentar que o Congresso Nacional hoje é uma vergonha para o País.

Deixe uma resposta