Deixe um comentário

Fazendeiro suspeito de mandar matar promotor se entrega

  ESSA HISTÓRIA AINDA SERÁ RECONTADA

Do JC Online

Principal suspeito de ser mandante do assassinato do promotor Thiago Faria, o fazendeiro José Maria Pedro Rosendo Barbosa se apresentou à polícia na tarde desta terça-feira. Zé Maria, como é conhecido, chegou à sede da Polícia Federal, na área central do Recife, acompanhado da esposa e de dois advogados. Antes de prestar depoimento, o homem falou com a imprensa e negou ter mandado matar o promotor.

José Maria disse que não se apresentou antes porque a Polícia Civil o acusou e não queria ouvi-lo. Apesar de ser considerado foragido, o fazendeiro contou que votou nos dois turnos da eleição em Itaíba, mesmo município onde aconteceu o crime.

O caso estava sendo investigado pela Polícia Civil até o início deste mês, quando passou a ser de responsabilidade da Polícia Federal. A PF trabalha com três possíveis linhas de investigação: disputa por terras, vingança e ciúmes.

Na linha de investigação que incrimina Zé Maria, o principal ponto é a disputa por terras. O fazendeiro teria perdido a posse da terra para a noiva do promotor, que arrematou em leilão 25 hectares da Fazenda Nova, em outubro de 2012, onde o fazendeiro morava mesmo sem ser o dono da propriedade. Zé Maria teria creditado sua expulsão da área à interferência do promotor e planejou a execução dele. De acordo com a perícia, três homens armaram a tocaia para o promotor.

Thiago Faria Soares foi morto com quatro tiros de espingarda calibre 12 no dia 14 de outubro de 2013, quando dirigia seu veículo pela PE-300, rodovia que liga Águas Belas, município onde o promotor residia, a Itaíba, local em que ele trabalhava. A noiva de Thiago, Mysheva Martins, e um tio dela também estavam no carro no momento da emboscada, mas não ficaram feridos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: