Lula critica The Economist por pedir voto em Aécio

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) criticou a revista britânica The Economist por ter defendido a candidatura de Aécio Neves (PSDB) à Presidência da República. O petista fez discurso de 20 minutos após desfile em carro aberto no “calçadão” de Alcântara, área comercial do bairro de São Gonçalo, na região metropolitana do Rio. No ato, em defesa da candidatura de Dilma Rousseff (PT), Lula voltou a criticar a imprensa e, apesar dos ataques que tem feito a Aécio (mais uma vez chamou o candidato de “filhinho de papai”), disse nunca ter sido agressivo até hoje com ninguém nas campanhas que disputou.

“Essa revista teve a pachorra, a desfaçatez de fazer uma matéria dizendo que o povo brasileiro deveria votar no Aécio”, disse Lula sobre a The Economist. “Será que essa revista é imbecil? Se os banqueiros querem votar no Aécio, tudo bem. Eles são livres. Mas a Dilma não é a candidata dos banqueiros, do FMI (Fundo Monetário Internacional), do especulador”, afirmou o ex-presidente em discurso. “Apesar dessa minha aparência de 30, faço 69 anos no dia 27 (dia seguinte à eleição). Aqueles que gostam de mim, me deem de presente a eleição de Dilma”, pediu.

Deixe uma resposta