Equilíbrio de forças?

Carlos Chagas

 Saberemos hoje, quando recomeça a propaganda eleitoral no rádio e na televisão, se a campanha será desenvolvida em termos altos, de propostas para os próximos quatro anos, ou se continuará a baixaria encenada antes do primeiro turno. Caso Dilma e Aécio continuem se agredindo, melhor para o eleitor será desligar os aparelhos ou, pelo menos, ir tomar um cafezinho na cozinha.

Amanhã serão divulgados os primeiros resultados das novas pesquisas, parecendo necessário aos desmoralizados institutos trabalhar com muita calma. O vexame revelado pelos números divulgados até domingo recomenda cautela. A melhor solução seria concluir pelo empate, até que as tendências se aclarem.

Dilma ou Aécio? É prematuro arriscar palpites. A presidente conta com a máquina do governo. O senador, com a possibilidade de somar as oposições. Vale aguardar, com votos de que os dois candidatos apresentem com prioridade planos e programas em vez de acusações. Resta saber que papel desempenhará o Lula, até o dia 26. Arredio ele não anda, mas distante, não há que duvidar. Pedirá votos para Dilma, mas com que intensidade?   Clique aí eLeia mais  (Artig na íntegra)

Deixe uma resposta