Deixe um comentário

Minirreforma: ainda deixa rastro de ressentimento na base

 Embora sem ganhos políticos concretos para o governo federal, a minirreforma ministerial iniciada ontem pela presidente Dilma Rousseff deixou um rastro de ressentimentos em Brasília. Um dos nomes cotados para assumir um ministério, mas que acabou preterido ao término do processo, o deputado Leonardo Quintão (PMDB-MG) não escondeu ontem sua irritação. “Respeito a decisão, uma vez que quem escolhe ministro é a presidente, mas o acordo tinha sido comigo”, disse ele ao Correio, sem esconder sua disposição futura: “Agora, estou bastante confortável para o futuro. Com menos compromisso”, referindo-se à campanha reeleitoral de Dilma Rousseff.

Quintão reclama que foi ele, e não Antonio Andrade, que abriu mão da candidatura para apoiar o petista Patrus Ananias na corrida pela prefeitura de Belo Horizonte em 2012. Ele acabou envolvendo-se em outra disputa frustrada. Quintão tentou até o último momento forçar a entrega do Ministério dos Transportes para o PMDB, mas a presidente não cedeu. (Do Correio Braziliense)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: