Pernambucano na lista dos mais procurados do mundo é preso em Portugal pela Interpol

Do g1

Um recifense de 27 anos foi preso em Portugal, por policiais da Organização Internacional de Polícia Criminal (Interpol), por causa de crimes de homicídio e tráfico de drogas cometidos em 2018. O nome dele, que não foi divulgado, estava na lista vermelha da instituição, que reúne os criminosos mais procurados do mundo, desde agosto de 2022.

Após ser procurado nos 190 países que compõem a Organização Internacional de Polícia Criminal, ele foi preso por volta das 10h do dia 4 de janeiro. No entanto, a prisão dele foi divulgada pela Polícia Federal (PF) apenas uma semana depois, no fim da noite da terça-feira (10).

De acordo com a PF, o recifense participou, junto com outros criminosos, do assassinato de Arnaldo Cesar Nascimento da Silva, morto a tiros perto do estacionamento da Marinha que fica na Rua Cais de Santa Rita, no bairro de São José, na área central da capital pernambucana.

“Foi o recifense que dirigiu seu veículo conduzindo seus comparsas até a casa da vítima, obrigando-a a entrar no carro até o local indicado para a execução. A motivação para o crime, segundo os criminosos, seria um roubo de 19 quilos de skunk, além da quantia de R$ 10 mil guardados pelo traficante recifense”, disse a PF, em nota.

Skunk é uma droga conhecida como “supermaconha” por ter uma maior concentração de substância entorpecente. Após o crime, o recifense se mudou, ainda em 2018, para Copacabana, no Rio de Janeiro.

A Justiça pernambucana foi comunicada sobre a prisão do recifense e foram iniciados os procedimentos para a extradição dele, “o que ocorrerá após julgamento e autorização do STF [Supremo Tribunal Federal] português”, declarou a PF, por meio de nota.

Quando a extradição for autorizada, policiais federais do Recife vão viajar até Portugal para buscar o preso e trazê-lo para a capital pernambucana, onde ele será encaminhado para um presídio e ficará à disposição da 4ª Vara do Tribunal do Júri.