Deixe um comentário

Chefe de gabinete de Janot sabia de jogo duplo de Miller

 Resultado de imagem para Chefe de gabinete de Janot sabia de jogo duplo de Miller

Valor Econômico

A Polícia Federal acredita que o procurador Eduardo Pelella, chefe de gabinete do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, sabia que o ex-procurador Marcelo Miller atuava em favor dos interesses do grupo J&F antes de deixar o cargo público.

De acordo com o relatório da Operação Calcanhar de Aquiles, na qual Wesley Batista foi preso, mensagens trocadas entre Miller, os sócios da J&F e os advogados do grupo sugerem que Pelella conhecia o jogo duplo do ex-procurador.

No dia 5 de abril, Miller deixou oficialmente o Ministério Público Federal e viajou aos Estados Unidos para, supostamente, cuidar das tratativas do acordo de leniência da J&F com o Departamento de Justiça americano (DoJ, na sigla em inglês).

A advogada Fernanda Tortma, que atendia a J&F, afirmou no grupo de um aplicativo de mensagens ter estranhado o fato de Pelella saber previamente da viagem de Miller. “Nessa hora achei estranho ele dizer que já tinha a informação de que o Marcello iria [viajar]”, afirmou ela.

Participavam do mesmo grupo, além de Tortma e Miller, Wesley e Joesley Batista, o executivo Ricardo Saud e o diretor jurídico da J&F, Francisco de Assis. A mensagem, segundo a PF, revela que membros da PGR tinham ciência do jogo duplo Miller.

Em nota, a PGR disse desconhecer o teor do relatório e afirmou se tratar “de conversas de terceiros fazendo suposições”.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: