PONTO A PONTO

RIFADO– Apesar de frequentar a bolsa de apostas para o Ministério da Fazenda, o ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, não está na lista de possíveis convocações da presidente Dilma. Um ministro petista explica que ela não gosta de Meirelles, com quem teve duros embates quando ambos eram colegas no governo Lula

O preço da reeleição– Os prefeitos reclamam que a presidente Dilma está atrasando os repasses de programas na área de saúde, como o que mantém os agentes comunitários de saúde. Segundo o presidente da Amupe, José Patriota, a União não repassa os recursos para pagar o salário desses agentes há dois meses.

Vai ser no grito– A Amupe, segundo Patriota, está enviando a presidente Dilma, na próxima semana, um documento relatando as dificuldades que os municípios estão enfrentando por conta do atraso de cotas federais. Se o Governo não colocar em dia repasses constitucionais para os municípios, os prefeitos farão protestos em Brasília.

Encontro tucano– O presidente do PSDB, Aécio Neves, convocou a Executiva do partido, além de senadores e deputados eleitos, para uma reunião no próximo dia 5, em Brasília. Um dos temas a ser debatido é a eleição para as presidências da Câmara e do Senado. De Pernambuco estarão presentes Daniel Coelho, Bruno Araújo e Betinho Gomes.

Vez dos suplentes– Há quem acredite na aliança oficial que o governador Paulo Câmara só convoque para o secretariado dois deputados federais e dois estaduais. Se isso se concretizar em Brasília assumem os suplentes Augusto Coutinho (foto) e Fernando Monteiro. Na Assembleia, os suplentes Antônio Moraes e Maviael Cavalcanti.

ALIADO– Do presidente estadual do PSDB, Bruno Araújo, sobre as declarações do deputado eleito Tadeu Alencar, que acenou para uma postura independente no Congresso: “Esperamos que o PSB seja um aliado dos parlamentares que entenderam o recado das urnas”.

VISÃO CEARENSE– Do governador do Ceará, Cid Gomes, ao avaliar a aliança do PSB com o PSDB em torno de Aécio: “Se o PSB está junto com o PSDB terá que optar por esse caminho também. Nós preferimos ficar no campo da esquerda com o PT”.

INTERVENÇÃO– A intervenção nacional no diretório estadual do PR, com a destituição do deputado Inocêncio Oliveira e a nomeação do deputado federal Anderson Ferreira, pode ter um desfecho favorável a Inocêncio na próxima semana. A direção do partido em Brasília agendou uma reunião na próxima quarta-feira com os deputados filiados ao partido no Estado.

Estrada paralisada– As obras de requalificação da PE-292, que liga o distrito de Albuquerquené, em Sertânia, ao município de Afogados da Ingazeira, trecho de apenas 60 km, foram paralisadas. O secretário de Infraestrutura, João Braga, acha que o problema se dá por falta de fluxo de caixa no Estado.

Laços políticos– O deputado Gonzaga Patriota (PSB) não nega seu parentesco com o servidor Johan Solano, flagrado pela PF usando dois equipamentos agrícolas do Governo em sua propriedade. Ressalta, entretanto, que o maior parentesco, o da política, Solano tem com o prefeito Marcones Libório e a ex-prefeita Creuza Pereira. “Ele votou para federal em Creuza e sua relação política é com o prefeito”, afirmou.

Peitando Uchoa– O deputado Aluízio Lessa (PSB) contrariou o presidente da Assembleia, Guilherme Uchoa (PDT), ao afirmar, ontem, no Frente a Frente, que o próximo comandante da Casa será escolhido obedecendo ao critério da proporcionalidade. Sendo assim, cabe ao PSB à presidência e não ao PDT, como deseja Uchoa.

André avermelhou– Embora tenha votado em Marina no primeiro turno e em Aécio Neves no segundo turno, o presidente estadual do PSD, deputado federal eleito André de Paula, anunciou, ontem, que estará alinhado ao partido no apoio ao Governo Dilma. Já na próxima quarta-feira ele participa de uma reunião para afinar o discurso neopetista.

PLEBISCITO– Os aliados não entendem porque a presidente Dilma voltou a falar em plebiscito para a reforma política. Desde junho de 2013, quando defendeu a proposta, ela sabe que o Congresso é contra. E se insistir certamente irá colher tempestades.

FULANIZANDO– A presidente Dilma informou a seus principais assessores que vai começar a fulanizar a reforma ministerial na segunda-feira, quando retornar da Base Naval de Aratu. Um dos que estiveram com ela aposta que Dilma “deve começar pela Fazenda”.

Perguntar não ofende: Dilma vai ceder à fome de cargos do PMDB?

 

fonte:blogdomagno

Deixe uma resposta