Eleições: Marina faz apelo pelo fim da ‘política destrutiva’

Marina rogou: “Faço um apelo para que saiamos do território da política destrutiva para ver os temas estratégicos para o desenvolvimento do país e debatê-los.”

Menos de 48 horas depois de ter anunciado o apoio à candidatura de Aécio Neves no segundo turno, Marina Silva foi queixar-se da vida no Twitter. Criticada até por companheiros da sua Rede Sustentabilidade.

Escorou-se no sociólogo polonês Zygmunt Bauman para explicar, na linguagem telegráfica dos 140 caracteres de uma tuitada, por que não repetiu a neutralidade de 2010: “A política não pode ser, como diz Bauman, a arte de prometer as mesmas coisas. E eu digo que não pode ser a arte de fazer as mesmas coisas.”

Deixe uma resposta