Tucanos vão turbinados para o segundo turno

 Os tucanos estão a oito pontos da presidente Dilma. Já foi assim em 2006 no segundo turno entre o ex-presidente Lula e o atual governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. A diferença é que naquela Lula chegou a dois pontos dos 50%. Agora Dilma está a oito pontos. O PSDB está aparentemente unido. E em condições de potencializar sua vantagem em São Paulo. A avaliação é de Ilimar Franco, na sua coluna do jornal O Globo. Com mais análise sobre o primeiro e segundo turnos:

A posição de Marina Silva terá peso. Estarão sendo disputados os seus 21 milhões de votos. Ela não tem preferência e está magoada tanto com o PT quanto o PSDB por terem adotado a mesma tática de desconstruí-la.

Os petistas precisam do apoio do PSB de Pernambuco. Isso poderá potencializar a diferença que já obteve no primeiro turno. O PT saiu fraco da eleição estadual e o PSDB cresceu por estar aliado aos socialistas. O apoio à reeleição de Paulo Câmara (2018) e do prefeito de Recife, Geraldo Júlio (2016), pode ser um ingrediente.

E os erros? Aécio não pode repetir o tucano Geraldo Alckmin (2006), que reduziu sua votação no segundo turno devido ao apoio que recebeu do ex-governador do Rio Anthony Garotinho.

Deixe uma resposta