Justiça manda e Folha dá direito de resposta a Câmara

 

O candidato da Frente Popular  ao governo de Pernambuco, Paulo Câmara conseguiu na Justiça Eleitoral que o jornal Folha de S.Paulo publicasse seu direito de resposta às acusações de suborno que fez o deputado José Arugusto Maia a sua coligação. Maia, em entrevista ao jornal, o dia 23 de julho, insinuou que teria recebido oferta de propina de aliados de Câmara para que passasse a apoiar a sua candidatura, abandonando o candidato do PTB Armando Monteiro.

Sem maiores comentários, o jornal cumpre a determinação da Justiça Eleitoral, publicando na edição deste sábado a versão  de Paulo Câmara, reproduzida abaixo, com o mesmo título exibido pelo jornal: 

”Folha publica direito de resposta de aliado de Campos

Leia a seguir texto do candidato do PSB ao governo de Pernambuco

Por decisão da Justiça Eleitoral, a Folha publica a seguir direito de resposta do candidato do PSB ao governo de Pernambuco, Paulo Câmara.

‘Ocupo este espaço editorial para exercer legítimo direito de resposta à matéria publicada, hoje (23/07), pelo jornal Folha de S.Paulo, que ao citar o meu nome, sugere, irresponsavelmente, a associação da minha imagem a uma suposta ação criminosa. Em função da matéria publicada por este jornal, baseada em denúncia formulada por um parlamentar pernambucano, sinto-me obrigado a me posicionar em defesa da minha honra e credibilidade, o maior patrimônio que construí ao longo da minha vida.

É importante destacar, que o deputado José Augusto Maia, que serviu como fonte da reportagem, responde a duas ações criminais por fraude em licitação e formação de quadrilha, e foi condenado, pela justiça pernambucana, em abril deste ano, por improbidade administrativa, tendo os seus direitos políticos sido suspensos pelo prazo de três anos, além da condenação e dos processos em andamento no Tribunal de Contas de Pernambuco.

Importante também ressaltar a relação de histórica amizade e apoio de José Augusto Maia ao nosso adversário direto, ao ex-empresário Armando Monteiro Neto, que desde as primeiras horas do dia da publicação da matéria tenta tirar proveito eleitoral do assunto. O que me parece mais grave é a tentativa caluniosa de me descredibilizar. Sou servidor público há 22 anos, com uma trajetória séria e reconhecida.

Nunca, em nenhum momento, fui vítima de qualquer ação que questionasse os princípios que levo, de casa, à vida pública: honestidade, correção, respeito, senso de justiça. Daí a minha mais profunda indignação diante deste episódio. Será que, pela condição de candidato ao governo, devo ser exposto publicamente por conta da má fé de elementos como o referido senhor? Atitudes assim envergonham a atividade política e, pior, buscam arrastar para os espaços nebulosos, onde atua um ficha-suja’, pessoas que estão na vida pública apenas com o intuito de exercer sua vocação e atender a uma convocação.

Repudio, firmemente, a utilização da mídia para criação de falsas denúncias que apequenam o processo eleitoral em uma clara tentativa de induzir os leitores e o público à interpretações deturpadas que ferem a democracia. Devemos lutar com empenho para varrer da vida pública brasileira práticas abomináveis que desonram o Brasil e aviltam a liberdade de opinião. Pessoas como José Augusto Maia devem ser banidas da política, como já foi determinado pela justiça.

Portanto, em meu nome, da minha família e de todos aqueles a quem represento, nesta caminhada, como cidadão e homem público, anuncio que estou tomando todas as medidas judiciais cabíveis contra José Augusto Maia e todos os envolvidos nesta nefasta e inadmissível atitude. Mais do que uma retaliação, do mais baixo nível, como se poderia esperar, pelo seu autor, fui vítima de um golpe que me obriga a reagir, imediatamente, e com força proporcional –não necessariamente à repercussão, mas à intenção.

Tenho uma missão a cumprir e assim será. Estou convencido de que o ocorrido servirá apenas para nos fortalecer nesta luta, contra adversários desleais. Manteremos o rumo e, apesar da indignação, não perderemos a serenidade. Pernambuco conta comigo. E estou cada vez mais firme na decisão, coletiva, de vencer com trabalho e respeito.

Paulo Câmara – candidato ao Governo pela Frente Popular de Pernambuco

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.