Deixe um comentário

Mercados públicos do Recife sofrem com falta de higiene e estacionamento

Grande Recife // desorganização

3067d38fafdb5981b808647ce9795c61.jpg

Cobrança de mais espaço para os clientes dos mercados públicos estacionarem é unânime
Fotos: Marília Banholzer/NE10

Falta de higiene, insegurança, problemas de infraestrutura e, principalmente, falta de estacionamento são as reclamações mais comuns entre os locatários de boxes de alguns dos principais mercados públicos do Recife. A capital pernambucana conta com mais de 20 centros públicos de compras, onde são comercializados desde produtos alimentícios até serviços de reparos, como sapateiro e chaveiros, passando por artigos culturais.

A realidade dos mercados públicos é de abandono. Poucos são os espaços que se destacam e fogem dessa regra de esvaziamento de visitantes e esquecimento das autoridades. Para tentar reorganizar o entorno desses mercados, a Prefeitura do Recife, através da Secretaria de Mobilidade e Controle Urbano, iniciou este ano um trabalho de manutenção desses espaços. Confira no vídeo abaixo quais são as reclamações mais comuns em alguns dos principais mercados públicos do Recife:

O projeto já passou pelos mercados de Beberibe, Água Fria e Afogados, todos na Zona Norte do Recife. Mas nem sempre as mudanças são bem-vindas. Esse é o caso do Mercado Público de Beberibe, no limite entre os bairros de Beberibe, no Recife, e Caixa D’Água, em Olinda. A operação de reordenamento no local aconteceu em janeiro e retirou os ambulantes do lado de fora do mercado e os relocou no pátio que fica nos fundos do mercado, onde antes funcionava o estacionamento para clientes e comerciantes. A saída dos feirantes das calçadas próximas ao mercado facilitou o tráfego de veículos e pedestres, que antes tentavam disputar espaço entre os carros.

Os comerciantes do local, porém, reclamam que a mudança fez com que o movimento do mercado caísse quase 70%. O principal motivo para essa redução teria sido o fim do espaço para estacionar os carros. “Teve coisa boa sim. Por exemplo, não tem mais gente se drogando nos banheiros, e a limpeza está melhorando. Mas agora não tem mais espaço para os clientes estacionarem, então eles pararam de vir aqui”, observa a cozinheira Cícera Antônia, que trabalha em um dos boxes há três anos. A verdade é que poucas pessoas pessoas circulavam no mercado público nesta quinta-feira (27). A área onde as barracas dos feirantes foram montadas também estava esvaziada, muitas, inclusive, encontravam-se desmontadas.


O Mercado de Beberibe registra baixo fluxo de visitação

Outros importantes mercados públicos que ainda não passaram pela reorganização aguardam as melhorias. Mesmo aqueles espaços que, em geral, concentram a maior parte do público que ainda possui o hábito de frequentar mercados têm deficiências. Em muitos desses locais é possível encontrar sujeira, e a falta de higiene exala pelos corredores escuros e estreitos desses tradicionais centros de compras populares.

SÃO JOSÉ – O maior e mais movimentado mercado público do Recife sofre com a bagunça no trânsito em seus arredores. Barracas e ambulantes diputam espaço nas ruas e calçadas, tornando o tráfego de veículos, e até de pedestres, quase impossível. O lixo também se acumula nas laterais do mercado. Outro problema é a Praça Dom Vidal, localizada na frente do mercado. O lugar se tornou moradia de muitos indigentes e ponto de uso de drogas, criando o clima de insegurança na região. Os permissionários também reclamam da má administração do espaço e da falta de reformas na estrtura do prédio histórico.


Permissionários reclamam da falta de turistas no Mercado de São José

BOA VISTA – O lugar é um dos mais procurados quando o assunto é gastronomia regional. Os locatários dos boxes, e até mesmo os visitantes, reassaltam a higiene e a falta de estacionamento como pontos de melhoria. Alguns permissionários também reclamam que estão sem água nos boxes há mais de dois meses.


Locatários do Mercado da Boa Vista sofrem com a falta d’água nos boxes

MADALENA – Neste mercado, a grande queixa é a falta de estacionamento, mas foi possível registrar o lixo aculado na calçada do mercado público. Os usuários ressaltam ainda que os preços praticados pelos lojistas do mercado da Madalena estão um pouco acima do que é cobrado em outras lojas. Apesar disso, este espaço é considerado um dos mais organizados da cidade, além de ser bem conceituado entre os visitantes.


Vistantes e comerciantes reclamam da falta de estacionamento na área

ENCRUZILHADA – Diversificado, o Mercado da Encruzilhada não sofre com falta de estacionamento, mas em seus dias/horários de pico de visitação, o público ainda tem que ter um pouco de paciência para encontrar uma vaga e deixar seu carro. O comércio de ambulantes no entorno do espaço público não é muito comum, porém existe. Apesar da limpeza do local ser feita regularmente, os visitantes reclamam da manutenção dos banheiros. Enquanto isso, os locatários dos boxes pedem mais segurança, uma vez que, segundo eles, não são raros os casos de assaltos nas redondezas do mercado.


O Mercado da Encruzilhada é um dos mais limpos e organizados do Recife

CASA AMARELA – Localizado numas das vias mais movimentadas da Zona Norte do Recife, a Estrada do Arraial, o mercado sofre com a falta de espaço para que os clientes estacionem seus carros e possam fazer suas compras com maior tranquilidade. Outro ponto de reclamção, desta vez dos visitantes, é a falta de higiene nos arredores do mercado.


Frequentadores cobram mais higiene e estacionamento em Casa Amarela

RESPOSTA DA PCR – A Secretaria de Mobilidade e Controle Urbano (Semoc) esclarece que, em menos de dois meses da nova gestão, já iniciou o reordenamento no entorno dos mercados públicos do Recife pelos mercados de Beberibe, Água Fria e Afogados. Nesses locais, mais de 500 ambulantes que tomavam conta de calçadas e faixas de rolamento foram relocados para outras áreas, abrindo, dessa forma, espaço para os pedestres e o transporte público. A previsão é de que os próximos a receber ações desse tipo sejam Nova Descoberta, Casa Amarela e São José. Após esse primeiro momento de operações nos arredores desses espaços, a Semoc iniciará a requalificação dos mercados. Além de serem reformados, os mercados terão regras, que deverão ser cumpridas pelos permissionários para manter a ordem no local. O cronograma de requalificação ainda está sendo montado.

 

Mercados Fundação Número de Boxes Localização
São José A estrutura original foi inaugurada em 7 de setembro de 1875, mas o espaço já sofreu diversas reformas Total de 545 boxes, divididos entre a área interna e externa Praça Dom Vital, s/n – São José
Madalena Inauguradao em 1925 Possui 180 compartimentos Rua Real da Torre, 270 – Madalena
Casa Amarela 09 de Novembro de 1930 São 60 boxes internos, 50 externos e 11 barracas Estrada do Arraial, 1930 – Casa Amarela
Beberibe Funciona desde a década de 50, mas só em  1985 tornou-se público Possui 54 boxes e mais 150 baracas de frutas e verduras Praça da Convenção, s/n – Beberibe
Encurzilhada 09  de novembro de 1950 Atualmente com 214 boxes Rua Dr. José Maria, s/.n – Encruzilhada
Boa Vista Não há regsitros de sua inauguração, mas o espaço foi reformado e reinaugurado em 02 de dezembro de 1946 Possui 63 boxes Rua Santa Cruz, s/n – Boa Vista

Serviço

Horário de funcionamento dos mercados público do Recife
De segunda a sexta-feira, das 6h às 18h, e aos domingos das 6h às 13h

fonte:ne10

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: