Pânico dos mercados exigirá diálogo e criatividade do governo e do Congresso

Resultado de imagem para panico nas bolsas

Bolsas tiveram de interromper o pregão na manhã de hoje

Renato Andrade
O Globo

A decisão da Arábia Saudita de abrir uma guerra de preços no mercado de petróleo com a Rússia é o elemento que faltava para elevar o “modo pânico” em todas as praças financeiras do planeta. Esse cabo de guerra – que neste momento não há como dizer por quanto tempo irá durar – somado aos efeitos já identificados da crise do coronavírus sobre a economia mundial exigirá criatividade dos dirigentes brasileiros pra enfrentar as diversas consequências que terão sobre o já combalido ritmo de atividade da economia brasileira.

Além disso, o Palácio do Planalto terá que se esforçar para abandonar, nem que seja temporariamente, o espírito belicoso e trocá-lo por uma postura de diálogo franco e aberto com o Congresso.

MENSAGEM DE MAIA – Alvo preferido dos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, o deputado Rodrigo Maia já se antecipou e mandou na noite de ontem, via redes sociais, um recado para os demais colegas da Praça dos Três Poderes:

“O cenário internacional exige seriedade e diálogo das lideranças do País. A situação da economia mundial se deteriora rapidamente. O Brasil não vai escapar de sofrer as consequências dessa piora global. É preciso agir já com medidas emergenciais”, escreveu o presidente da Câmara, logo depois de os preços do petróleo começarem a despencar nos mercados internacionais.

Maia sinalizou que deputados e senadores estão prontos para tocar – e aprovar – as reformas da equipe econômica de Paulo Guedes: “O Congresso está pronto para avançar com as reformas necessárias capazes de reestabelecer a confiança”.

SÓ FALTA GUEDES– Cabe ao ministro da Economia enviar o que está na gaveta e negociar com os parlamentares versões que agreguem os diversos interesses em jogo para viabilizar reformas com efeitos práticos e viabilidade política de ser aprovada.

“Se agora os poderes da República agirem em harmonia e com espírito democrático, esta crise pode virar uma oportunidade de se somar forças em busca das soluções necessárias e urgentes”, alertou Maia.

A Bolsa de Valores de São Paulo (B3) entrou em circuit breaker, que é quando o Ibovespa, seu principal índice, cai mais de 10% e as negociações são interrompidas por 30 minutos para acalmar os operadores e evitar perdas adicionais aos investidores.

LÁ FORA, TAMBÉM – Nos Estados Unidos, as principais Bolsas também acionaram o circuit breaker após queda de mais de 7%. Os negócios ficam suspensos por quinze minutos. A Nasdaq caía 7,14%, o Dow Jones recuava 7,60% e o S&P500 perdia 7,23%.

O dólar comercial também opera em alta na manhã desta segunda-feira e chegou a ser negociado por R$ 4,792, mesmo após o Banco Central anunciar, antes da abertura dos negócios, que venderá US$ 3 bilhões no mercado à vista.

Apesar do pânico nos mercados financeiros, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse na manhã desta segunda-feira que a equipe econômica está “absolutamente tranquila”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.