Veja quem são as primeiras nomeações de Regina Duarte na Secretaria da Cultura

Foram nomeados o presidente do Ibram, o chefe de gabinete e outros três secretários

Regina Duarte em sua posse na Secretaria Especial da Cultura Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo
Regina Duarte em sua posse na Secretaria Especial da Cultura Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo

RIO — Foram nomeados, nesta sexta-feira, os primeiros membros da gestão Regina Duarte à frente da Secretaria Especial da Cultura. Foram escolhidos o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), o chefe de gabinete da pasta, o secretário da Economia Criativa, a secretária de Direitos Autorais e Propriedade Intelectual e o secretário de Difusão e Infraestrutura Cultural. As nomeações foram publicadas em edição extra do Diário Oficial da União.

Na presidência do Ibram, foi escolhido o advogado Pedro Mastrobuono, que é presidente do Instituto Alfredo Volpi de Arte Moderna. De acordo com seu currículo, ele também já foi vice-presidente da Comissão Especial de Direito às Artes da OAB. O cargo era ocupado por Paulo Cesar Brasil, que foi exonerado nesta quarta-feira.

Já a Secretaria da Economia Criativa será comandada por Aldo Luiz Valentim. Aldo é ex-secretário-adjunto da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo — cargo que ocupou por seis meses em 2019. Segundo seu currículo, ele é mestre em Políticas Públicas e em Artes.

Aldo era o número dois do atual secretário municipal de Cultura de São Paulo, Alê Youssef. Nas redes, o agora funcionário de Regina Duarte é crítico ao seu ex-chefe. Em uma publicação, criticou uma entrevista de Youssef concedio ao jornal “O Estado de S.Paulo”: “Fácil pregar o que não faz, né? Demagogo, hipócrita, sua única atividade é sangrar os poucos recursos da cultura com mega eventos no centro contratando seu clube de amigos!”.

Em outro post, diz que “Enquanto o secretário, promoter, gasta milhões em eventos, a Secretaria Municipal de Cultura não tem recursos para manutenção de calhas e lajes de cultura”. As publicações, que foram apagadas por Aldo, já haviam sido salvas pela reportagem do GLOBO anteriormente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.