Filme de Petra Costa perde para documentário produzido por Obama

Não foi dessa vez. O Oscar de melhor documentário em 2020 foi para “Indústria Americana” (produzido pelo casal Barack e Michelle Obama), desbancando “Democracia em Vertigem”, da diretora mineira Petra Costa.

Caso vencesse, esta seria a primeira vez que o Brasil levaria o Oscar na categoria de documentário. Além de “Democracia em Vertigem”, “Indústria Americana” desbancou títulos como os sírios “For Sama” e “The Cave” e “Honeyland”, da Macedônia.

Em seu discurso, a diretora Julia Reichert ressaltou a coragem das colegas indicadas e exaltou o gênero por trazer histórias de lugares tão diversos quanto o Brasil e a Macedônia.

O prêmio foi entregue pelo ator Mark Ruffalo, conhecido por seu ativismo político e ambiental.

De vermelho no tapete vermelho da premiação, Petra ressaltou que a “cura do Brasil depende do voto de cada um”. “Eu acredito que isso não é da alma brasileira, a gente consegue lidar com as diferenças, mas esse ódio não faz parte da nossa natureza. A cura do Brasil depende do voto de cada um. Não aguento mais gente falando que política é tudo igual. Esse é o segredo para continuarmos perpetuando desigualdades. O voto de cada um importa. A gente tem que barrar esse avanço do fundamentalismo”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *