Coronavírus: Veja epidemias que assustaram a humanidade

China já confirmou mais de 800 casos do coronavírus Foto: EFE/EPA/Rungroj Yongrit

Um dos assuntos do momento, seja na internet ou entre a comunidade científica, o coronavírus tem causado apreensão diante do aumento cada vez mais rápido do número de casos. Só na China já são quase 900 pessoas contaminadas com o vírus chamado provisoriamente de 2019-nCoV.

Apesar de não ter sido classificado como um caso de emergência nacional pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a doença se assemelha a outras epidemias que marcaram a história da humanidade, como as que estão na lista abaixo.

GRIPE SUÍNA
Também chamada de H1N1, a doença foi declarada como uma pandemia (quando a infecção ocorre na população localizada em uma grande região geográfica) pela OMS. Em meados de março de 2009, ela foi caracterizada como um surto global e matou mais de 2 mil pessoas só no Brasil. Com sintomas de febre, tosse, dor de garganta, calafrios e dores no corpo, a gripe recebeu esse nome porque muitos de seus genes eram semelhantes aos dos vírus que afetavam porcos na América do Norte.

GRIPE AVIÁRIA
Além de ser transmitida de pessoa para pessoa, a doença pode ser contraída pelo contato com aves doentes. Por esse motivo, mais de 1,5 milhão de frangos foram mortos em Hong Kong depois que um homem morreu infectado pelo vírus em 1998. Casos semelhantes ocorreram em 2003, na Coreia do Sul, e obrigaram a população a sacrificar mais aves. Responsável pela doença, o vírus H5N1 teve surtos em 1997 e 2004 ocasionando a morte de 300 pessoas.

SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE
Mais conhecida como SARS, a doença teve um surto mundial em 2002, tendo o primeiro registro na China. Mais de oito mil casos foram confirmados ao redor do mundo, incluindo Canadá e Estados Unidos. No ano seguinte, aconteceram mais de 800 mortes. A síndrome é considerada erradicada desde 2004, mas isso não significa que o vírus tenha sido extinto. Os sintomas incluíam febre, dor de cabeça, calafrios, dores musculares, tosse seca e dificuldade para respirar.

EBOLA
Identificado na África Central na década de 70, o vírus do ebola causou a morte de mais de 11 mil pessoas pelos dados da OMS. Caracterizada por hemorragias internas ou externas, a doença também está ligada ao consumo de animais infetados, como o morcego-da-fruta ou o macaco. Assolada pela epidemia, a República Federativa do Congo registrou 3 mil casos entre agosto de 2018 e de 2019.

DENGUE
Informações do Ministério da Saúde afirmam que 11 estados brasileiros poderão ter novo surto de dengue a partir de março deste ano. A região Nordeste, Rio de Janeiro e Espírito Santo são considerados de maior risco para doença que possui quatro variantes do vírus. Depois de dez anos sob controle, o tipo 2 voltou a circular no fim de 2018. Em 2019 foram contabilizados mais de 1,5 milhão de casos da doença e 782 mortes. A Organização Pan-Americana de Saúde estima que que 3,9 bilhões de pessoas em 128 países estão em risco de infecção transmitida pelo Aedes aegypti.

PESTE NEGRA
Considerada a epidemia mais devastadora da história, a doença transmitida por ratos dizimou metade da população da Europa com a morte de 200 milhões de pessoas entre 1347 e 1351. Em 2011, um grupo de cientistas canadenses publicou um estudo comprovando que a bactéria Yersinia pestis, causadora da doença na época, está extinta.

Com informações Pleno News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.