General Heleno avalia crise entre os EUA e o Irã como “delicada” e diz que o momento é de “aguardar”

“Vamos olhar. Mais do que falar, opinar”, disse o ministro

Ingrid Soares
Correio Braziliense

O general Augusto Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), ao Correio, disse que conversou com o presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) na tarde desta sexta-feira, dia 3, sobre a crise entre os EUA e o Irã. Ele diz que considera “delicada” a situação e destaca que o momento é de ‘aguardar’.

SITUAÇÃO DELICADA – “É delicada. Não é uma situação em que possamos estabelecer com antecedência tudo o que vai acontecer. Por isso que digo: Vamos olhar. Mais do que falar, opinar. Vamos olhar, vamos prestar atenção”.

E emendou: “Vamos aguardar os acontecimentos, está muito no início. O presidente e eu conversamos muito. Sou segurança internacional, não tenho pretensão de ser conselheiro, mas converso com ele e a gente discute. Por enquanto, a ideia é a gente ficar observando. Acabei de receber um documento, vou estudar pra conversar com ele e por enquanto a ideia é a gente ficar observando”, concluiu.

Na manhã desta sexta-feira, na saída do Palácio da Alvorada, Bolsonaro disse que, antes de emitir um comunicado sobre o ataque dos Estados Unidos contra o Irã, conversaria com o ministro Augusto Heleno.

JUÍZO DE VALOR – “Tive algumas informações nesta quinta-feira à noite, de madrugada. Vou me encontrar agora com o general Heleno para me inteirar do que realmente aconteceu. Daí por diante, emitir o meu juízo de valor”, disse Bolsonaro. O chefe do Executivo apontou que a crise também poderá interferir no preço do combustível no Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.