‘O Cruzeiro’, a revista que mudou a mídia nacional

No dia 10 de novembro de 1928, a primeira edição da revista semanal ilustrada ‘O Cruzeiro’ é publicada

‘O Cruzeiro’, a revista que mudou a mídia nacional
A revista trouxe inovações gráficas e editoriais para a imprensa brasileira (Foto: Wikipedia)
A revista “O Cruzeiro” foi criada em um contexto histórico em que surgiam os primeiros conglomerados de imprensa e o jornalismo tinha caráter sensacionalista. Em 10 de novembro de 1928 foi publicado o primeiro número da revista, que trouxe inovações gráficas e editoriais para a imprensa brasileira, como a indicação do tempo que seria gasto pelo leitor para a leitura de cada texto.

Pertencente aos Diários Associados, grupo de Assis Chateaubriand, a revista era de publicação semanal, a primeira a abranger todo o território nacional, e possuía repórteres em todo país e correspondentes internacionais. Eram inúmeros os assuntos abordados pelo veículo: cinema, esportes e saúde, charges, política, culinária, moda, crônicas, coluna social.

“O Cruzeiro” misturava realidade e ficção e abrigava os melhores jornalistas do país. Uma dupla de sucesso que se formou na revista foi David Nasser, o repórter mais conhecido dos anos 1950, e o fotógrafo francês Jean Manzon. Juntos arranjavam, produziam e ilustravam matérias impactantes.

Em outubro de 1943 a revista começou a publicar as histórias do Amigo da Onça, criadas pelo cartunista Péricles de Andrade Maranhão. O personagem, que se transformaria em um dos mais populares do país, fazia críticas a muitas situações como o casamento, o exército e a hipocrisia social. A seção Pif-Paf esteve por mais de dez anos na revista “O Cruzeiro”, assinada por Millôr Fernandes como Vão Gôgo. Em 1954, a matéria sobre o suicídio de Getúlio Vargas levou a revista a atingir a tiragem de 720.000 exemplares.

Com o regime militar e a ascensão de outros conglomerados, como as Organizações Globo – os Diários Associados começaram a perder seu prestígio. O desuso de suas fórmulas e o surgimento de novas publicações como Manchete e Fatos & Fotos também contribuíram para o fim da revista em julho de 1975. A última edição trouxe na capa o jogador Pelé, vestido de Tio Sam.

Fonte:
Rádio em revista-Revista O Cruzeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *