Bolsonaro diz que recebeu carta de vizinho de cela de Adélio com indicação de possível mandante de facada

O presidente Jair Bolsonaro em cerimônia no Palácio do Planalto | ADRIANO MACHADO/ Reuters

POR BELA MEGALE – O Globo

Em vídeo gravado dentro do Palácio do Planalto e publicado na Internet no domingo (6), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que recebeu uma carta de um vizinho de cela de Adélio Bispo, autor da facada que o golpeou há pouco mais de um ano, indicando o possível mandante do atentado contra ele. Bolsonaro disse que a carta chegou às suas mãos e que ele passou o documento “às autoridades competentes”. 

— Chegou uma carta às minhas mãos e passei para as autoridades competentes. (…) A carta não foi dele (Adélio Bispo) não, é do vizinho de cela. Ele conta o drama dele primeiro, pô, dá até vontade de chorar. O drama dele, cheio de problema, etc. Se eu tivesse 10% dos problemas que ele tem teria morrido há muito tempo. Mas tudo bem, a carta chegou (…) e falou que o Adélio tem falado algumas coisas lá que … — disse Bolsonaro.  

— Que indicam que ele (Adélio) não perdeu a intenção — interrompeu o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), General Heleno, que também aparece no vídeo.  

Posteriormente, Bolsonaro diz ao ministro que pode vazar o documento, mas logo volta atrás para não colocar em risco a vida do autor da carta.  

— Se quiser vazar a carta pode vazar (inaudível) vocês pegaram essa carta. Agora, qual o problema ali? Se se … não pode publicar a carta, pelo trecho, pela letra, alguém pode chegar no vizinho e matar o vizinho.  Acho que é bom… não vaza não, pode dar problema pro vizinho. 

No entanto, o presidente autoriza a dizer que ele recebeu uma carta do vizinho de cela de Adélio com informações sobre o possível mandante da facada.   

— Chegou ao meu conhecimento uma correspondência do vizinho de cela contando por alto quem poderia ser o mandante do crime. Eu não quero falar o nome do cara porque podem vir me questionar, vão falar que eu que forjei essa carta para criticar o João da Silva de tal partido. — disse o presidente. 

Procurado para se manifestar sobre quem autorizou a divulgação do vídeo, o Palácio do Planalto ainda não se pronunciou. 

Deixe uma resposta