Alcolumbre briga para manter sigilo dos gastos de senadores

Presidente do Senado tem negado acesso a dados sobre despesas e segue o tudo por eles e nada pelo povo.

Presidente do Senado, Davi Alcolumbre  e sua pose de arrogante         Foto: Agência Senado/Jefferson Rudy

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), briga na Justiça para que os senadores mantenham em sigilo as notas fiscais que justificam seus gastos com a chamada cota parlamentar até junho deste ano.

A cota varia entre R$ 30 mil e R$ 45 mil, a depender do Estado do congressista. Ela é destinada a cobrir despesas relativas ao exercício do mandato. O alvo da ação judicial é o próprio Alcolumbre, mas a decisão pode beneficiar a todos seus colegas na Casa.

O senador, que assumiu a presidência do Senado em fevereiro deste ano, vem se recusando a atender pedidos feitos pela Lei de Acesso à Informação (LAI) para que seu gabinete informe os gastos com a verba parlamentar.

As várias negativas aos pedidos estão sendo questionadas pela Justiça Federal, Ministério Público e Tribunal de Contas da União (TCU), órgão responsável por fiscalizar o Poder Legislativo.

Em abril, o advogado Marco Tulio Bosque entrou com ação popular contra Alcolumbre na 1.ª Vara da Justiça Federal em Uberlândia (MG), para cobrar a divulgação das notas fiscais. O juiz Lincoln Rodrigues de Faria acatou o pedido e determinou a quebra do sigilo. O senador recorreu por meio da Advocacia-Geral do Senado, que destacou três defensores para o caso. Enquanto isso, os dados continuam em segredo.

Deixe uma resposta