Com sigilo sobre os dados da Previdência, Paulo Guedes quer uma “votação nas trevas”

Imagem relacionada

Ilustração reproduzida do site Dom Total

Pedro do Coutto

A reportagem é de Fábio Fabrini e Bernardo Caram, manchete principal da edição de domingo da Folha de São Paulo. O ministro Paulo Guedes, da Economia, resolveu ocultar do Congresso e da opinião pública os dados que justificariam a reforma da Previdência. Por isso, até hoje não se conhecem as informações básicas que obrigatoriamente deveriam ter sido incluídas no texto da mensagem que encaminhou à Câmara o Projeto de reforma Constitucional.

Essa revelação partiu de comunicação da Folha de São Paulo com o site Transparência, do governo federal.  A decisão de blindar os documentos, acentuaram os repórteres, decorreu do pedido do jornal, porque existem pontos do projeto que necessitam ser esclarecidos.

OUTRA VISÃO – Mas acontece que o ministro Paulo Guedes tem outra visão do problema, e assim os deputados que vão debater o projeto de emenda, persistindo a barreira de hoje, não poderão dispor das informações, entre as quais em que cálculo Paulo Guedes se baseou para dizer que a reforma proporcionará uma economia da ordem de 1,1 trilhão de reais no somatório de a dez anos. Ou seja, vão votar no escuros, sem nada saber.

Na minha opinião, essa meta de 1,1 trilhão é simplesmente impossível, por que representaria uma produção de receita pelo INSS de 100 bilhões de reais por ano, sem contar a inflação anual do IBGE, que, a exemplo de 2018, assinalou 4% para os 12 meses que separam um exercício do outro. Mas para este ano a meta inflacionária ficará contida numa escala de 4,5%.

NO ESCURO – Os deputados também até agora não conseguiram acessar os pontos básicos sobre os quais a reforma da Previdência se justificaria.

Assim, trata o governo de tentar obter uma votação nas trevas, uma vez que ninguém teve acesso às fontes e às explicações necessárias para que ocorra uma tradução entre o economês e a lei federal de aceso a informação.

Ou seja, no caso da Previdência, ainda não existe nenhuma luz no fim do túnel.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.