No Recife, Vem Pra Rua protesta contra ministros do STF

Em Boa Viagem, manifestantes do Vem Pra Rua cantaram parabéns para aniversário da prisão do ex-presidente Lula

Vem Pra Rua faz protesto no Recife a favor da prisão em segunda instância

Vem Pra Rua faz protesto no Recife a favor da prisão em segunda instância  Foto: José Britto/Folha de Pernambuco

Em defesa da prisão após condenação em segunda instância, centenas de militantes tomaram a Avenida Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, durante o ato do Vem Pra Rua com críticas aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). A multidão também cantou parabéns para o primeiro ano de aniversário da prisão doex-presidente Lula (PT). Um dos focos do ato era a defesa da Operação Lava Jato e a crítica ao entendimento de que processos de corrupção devem ser julgados pela Justiça Eleitoral.

Segundo os manifestantes, os objetivos do ato eram pressionar o STF a não rever a regra que permite prisões após condenações em segunda instância. O julgamento, marcado para o próximo dia 10, foi adiado sem previsão de ocorrer. Outro pedido feito pelas lideranças era de que os manifestantes pressionassem senadores a aprovarem a CPI da “Lava Toga“, para investigar o Judiciário.

Em carro aberto, uma manifestante vendada segurando uma balança representava a Justiça brasileira. Ela era atacada por foices empunhadas por outros militantes usando máscaras dos ministros do STF Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio Mello.

Além das críticas aos ministros, as faixas também demonstravam apoio ao ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro. O Vem Pra Rua é favorável ao pacote anticrime apresentado pelo ministro ao Congresso Nacional.

Com dois trio elétricos, a multidão saiu em passeata da frente da Padaria Boa Viagem até o Segundo Jardim. O grupo vestia camisas verde e amarela e carregavam bandeiras do Brasil. Em coro, também adaptaram músicas entoadas na época do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) para mirar contra integrantes do STF.

folhape

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *