Clube de Literatura: nova mania no Recife

Luciana Morais, organizadora do clube Minha Estante Mágica.Luciana Morais, organizadora do clube Minha Estante Mágica.

O Recife está vivendo um momento especial no quesito literatura. Várias jovens mulheres estão organizadas em clubes de leitura. Tem vários deles espalhados pela cidade. Destaque para três que estão movimentando as redes: o Minha Estante Mágica, organizado por Luciana Morais; o Traça, com Clarissa Galvão e o Leia Mulheres de Olinda, de Ane Montarroyos e Katarine Araújo.

Os grupos variam de tamanhos, mas têm, em média, 10 mulheres. Funciona assim: todos os meses a turma escolhe um livro, todas lêem e marcam um encontro mensal para debater.

A jornalista Luciana Morais conta que sempre gostou de ler mas desde 2017 ela decidiu criar um perfil no Instagram para compartilhar dicas de livros. Já foram 101 resenhas e mais de 22.600 seguidores. “Este ano firmei parcerias importantes para consolidação da página com editoras como a Editora arqueiro/sextante, grupo editorial pensamento, grupo cia das letras, grupo editorial Record, editora autêntica. São parcerias fundamentais estimular a leitura. As mulheres são as maiores consumidoras de livros. E principalmente, o público que mais debate literatura atualmente”, relata ela.

Clarissa Galvão é doutora em Sociologia pela UFPE e organizadora do Clube Traça. Ela conta o projeto surgiu da necessidade de debater um livro específico e só cresceu.
O Traça surgiu de um desejo meu, e da provocação de algumas amigas, por um espaço de conversas em torno da literatura. E o gatilho para esse movimento foi a necessidade de discutir um livro que nos marcou muito, Fome – de Roxane Gay, que foi o primeiro que debatemos.
Movida por isso, criei o Traça, em dezembro de 2018, com a proposta de esse ser um espaço de reflexão e trocas – entre mulheres – sobre a literatura produzida por mulheres. Digo que é um clube do livro feminino e feminista.

Os encontros acontecem uma vez ao mês, em minha casa. Ao todo participam entre 20 a 30 mulheres, divididas em dois grupos. Em abril, estaremos realizando nosso quinto encontro. Até agora debatemos Fome, Dias de Abandono, As meninas, O papel de Parede Amarelo, O Pequeno Guia de incríveis artistas mulheres que sempre foram consideradas menos importantes que seus maridos, O martelo e, este mês, discutiremos 40 dias, de Maria Valéria Rezende.

Traças Foto: Danilo Catão
fonte:NE10/JC/SOCIAL 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *