Partidos alemães atacam Bolsonaro por seus comentários sobre a origem do nazismo

Resultado de imagem para

Yasmin Fahimi, deputada alemã, critica visão errada de Bolsonaro

Jamil Chade
Blog do Chade

Alguns dos partidos mais tradicionais da história da Alemanha pós-Hitler atacam o presidente Jair Bolsonaro por seus comentários sobre a origem do nazismo. Nos últimos dias, o chefe de estado declarou que o nazismo tinha suas origens nos movimentos de esquerda na Europa, versão também declarada pelo chanceler Ernesto Araújo.

Ao blog, a deputada do Partido Social-Democrata (SPD) Yasmin Fahimi não poupou críticas ao brasileiro. “Os nazistas também usaram o termo ‘social’ como uma máscara para seu real programa político”, disse Fahmi, que faz parte do Comitê de Relações Exteriores do Parlamento alemão.

SOCIAL-DEMOCRATA – Seu partido governou a Alemanha sob a gestão de Gerhard Schroeder, Helmut Schidt e Willy Brandt. Hoje, o SPD também faz parte da coalizão que governa a Alemanha, num acordo com o partido de Angela Merkel, de centro-direita. Qualquer tipo de iniciativa por parte do governo em matéria de relações exteriores também passa pelo SPD. Hoje, o ministro das Relações Exteriores da Alemanha é Heiko Josef Maas, justamente do Partido Social-Democrata.

“O fato de Jair Bolsonaro estar usando a mesma estratégia de mentiras é uma ridicularização inaceitável das vítimas que foram mortas pelos nazistas”, disse Fahimi. “Durante a Alemanha Nazista, foram os sociais-democratas que foram presos e mortos, antes de mais nada”, afirmou.

“Nazistas foram demagogos fascistas de extrema-direita. Durante esse período, a Alemanha foi uma ditadura fascista, desumana e de ideologia racista. A declaração de Bolsonaro deprecia a memória de todas as vítimas assassinadas pela violência dos nazistas”, insistiu.  “O movimento de esquerda, pelo contrário, lutou pela liberdade e pela igualdade de todos. Isso é o oposto do fascismo”, completou.

MAIS CRÍTICAS – Heinz Bierbaum, chefe do Comitê Internacional do partido Die Linke, tampouco poupou críticas. “Bolsonaro pode ser chamado de fascista”, disse. “Desprezando a democracia, as conquistas do Estado de Direito, ele ataca esquerda, LGBT, povos indígenas, afro-brasileiros, minorias e ativistas”, declarou.

“A esquerda de todo o mundo se levanta contra Bolsonaro e todo seu ódio”, disse. “A história da Alemanha e o surgimento do Partido Nazista nos ensinam a resistir a ameaças do racismo e intolerância em sua origem”, atacou o deputado.

Segundo ele, a declaração de Bolsonaro sobre a origem do nazismo é “uma completa distorção dos fatos históricos”. “Sem qualquer dúvida, o nazismo é um movimento fascista. Eles não foram responsáveis apenas pela morte de 6 milhões de judeus, mas também de 20 mil membros de partidos de esquerda”, declarou.

GENOCÍDIO – “Mais de 3 milhões de prisioneiros soviéticos morreram nas prisões na Alemanha durante a guerra”, insistiu Bierbaum, lembrando que a ofensiva nazista no mundo e sua ideologia anticomunista deixou como resultado 65 milhões de mortos.

“A esquerda foi parte da resistência antifascista em toda a Europa e lutou contra esses regimes desumanos”, completou.

Deixe uma resposta