Audiência com Guedes na Câmara termina em tumulto

Sessão foi encerrada após bate-boca entre deputado e ministro

Audiência com Guedes na Câmara termina em tumulto
‘Eu respeito quem me respeita’, disse Guedes a deputado (Fonte: Reprodução/Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

A sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara que discutia a reforma da Previdência nesta quarta-feira, 3, com a presença do ministro da Economia, Paulo Guedes, terminou em tumulto.

Foram mais de seis horas de sessão. A audiência foi encerrada após um bate-boca entre o deputado Zeca Dirceu (PT-PR) e o ministro da Economia.

Dirceu afirmou que Guedes age como “tigrão” com aposentados, idosos e pessoas com deficiência, e como “tchutchuca” com a “turma mais privilegiada do nosso país”.

O presidente da CCJ, Felipe Francischini (PSL0PR), pediu para os parlamentares respeitarem o ministro da Economia. Fora do microfone, Paulo Guedes respondeu a Zeca Dirceu: “Você não falte com o respeito comigo. Tchutchuca é a mãe, tchutchuca é a vó”.

Francischini pediu a Guedes e a Dirceu que retirassem as palavras, e acabou encerrando a sessão “em função de alguns desencontros”.

“Acredito que a reunião foi muito produtiva, mas infelizmente tive de encerrar um pouco mais cedo em virtude de algumas brigas internas ali”, afirmou o presidente da CCJ.

A servidora Daniella Marques, assessora do Ministério da Economia, acabou sendo levada por policiais a uma sala da Polícia Legislativa da Câmara após um desentendimento com a deputada Maria do Rosário (PT-RS).

Em declaração a jornalistas, Maria do Rosário disse que tentou falar com o ministro, mas a assessora tentou impedi-la. “Não tenho como me lembrar agora se empurrou fisicamente ou não, mas meu papel de parlamentar ela impediu. Isso posso dizer com toda a certeza. Porque meu papel é falar com o chefe dela e não com ela”, afirmou a deputada.

A servidora assinou um termo de comparecimento na sala da Polícia Legislativa e foi liberada. Ela será ouvida formalmente apenas se houver uma acusação formal da deputada, que já afirmou, por sua vez, que não pretende prestar queixa.

A audiência também foi marcada por outros conflitos entre o ministro Paulo Guedes e deputados da oposição. Houve reclamações quando Guedes disse que “tem que internar” quem não acha necessária a reforma da Previdência.

G1 – Audiência na Câmara termina em tumulto após bate-boca entre Paulo Guedes e deputado

Deixe uma resposta