Neto de Lula teve diagnóstico falso e não morreu de meningite

Prefeitura de Santo André informou, em nota, que a meningite está descartada como a causa da morte de Arthur Araújo Lula da Silva

undefined
Reprodução

Neto de Lula, Arthur tinha apenas sete anos e primeiro diagnóstico dizia que ele morreu de meningite

A prefeitura da cidade de Santo André, localizada no ABC Paulista, descartou, nesta segunda-feira (1º), que a morte de Arthur Araújo de Silva , aos 7 anos – neto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – tenha acontecido em consequência de uma meningite. O neto de Lula morreu no dia 1º de março e a real causa da morte foi uma infecção generalizada causada pela bactéria Staphylococcus aureus.

Durante todo esse mês, a meningite vinha sendo divulgada como a razão do óbito do garoto. A informação, inclusive, veio do Hospital Bartira, da rede D’Or, do município, onde a criança deu entrada, no dia de sua morte. O neto de Lula chegou ao hospital com sintomas como febre, dor no corpo e enjoo. Seu quadro era estável, mas rapidamente se agravou.

No entanto, ontem a prefeitura de Santo André deu esse novo diagnóstico. Segundo o executivo, a Secretaria Municipal de Saúde encaminhou amostras coletadas no hospital, para análise e confirmação, ao Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, e os exames deram negativo para meningite, meningite meningocócica e meningococcemia.

Segundo a nota divulgada pela prefeitura, o diagnóstico de meningite era falso. O comunicado ainda destacou que “todos os procedimentos de proteção e profilaxia dos comunicantes foram realizados seguindo os protocolos do Ministério da Saúde. Informações adicionais relacionadas ao caso dependem de autorização expressa da família da criança.”

Por isso, o município não indicou quais as possíveis causas para a morte do neto de Lula , segundo os exames, mas infectologistas confirmaram a infecção generalizada. O velório do menino foi o único evento para o qual o  ex-presidente foi liberado a ir, em São Bernardo do Campo. Lula continua preso em Curitiba.

Deixe uma resposta