Suspensa demolição de galpões no Cais José Estelita

Derrubada de galpões havia sido autorizada nessa segunda pela Prefeitura do Recife

Resultado de imagem para Suspensa demolição de galpões no Cais José Estelita

Galpões do Cais José Estelita, no Recife

A justiça, através do juiz Augusto Napoleão Sampaio Angelim, da 5ª Vara da Fazenda Pública da Capital, determinou por meio de liminar, no início da tarde desta terça-feira (26), a suspensão dademolição de galpões na área do Cais José Estelita. Visando ao empreendimento imobiliário Consórcio Novo Recife, a demolição havia começado nessa segunda (25) após autorização da Prefeitura do Recife. Em caso de descumprimento da liminar, os responsáveis pela derrubada serão multados em R$ 5 mil por dia.

A decisão atende a uma Ação Civil Pública do Ministério Público de Pernambuco (MPPE). Representantes do órgão retiraram a placa que dava o alvará para a realização das obras e colocaram outra no lugar, avisando sobre a suspensão imediata da demolição.

“Diante do exposto, com fundamento no art.300, do Código de Processo Civil, defiro a tutela provisória de urgência com a finalidade de determinar ao município do Recife que suspenda, imediatamente, a licença deferida para a execução das obras do Cais José Estelita… Em caso de descumprimento da presente liminar, arbitro multa diário de R$ 5.000,00 (cinco mil reais)”, diz o juiz Augusto Napoleão Sampaio Angelim na liminar.

Segundo o representante do Consórcio Novo Recife, Eduardo Moura, a demolição ficará parada até segunda ordem. “Em todos os processos anteriores, obtivemos êxitos. Junto com o nosso setor jurídico, já estamos vendo o que pode ser feito para que as obras possam voltar a ser retomadas”, disse.

As edificações do antigo Cais José Estelita tiveram o processo de demolição iniciado na última segunda-feira, com alvará da Prefeitura do Recife. Na ocasião, o secretário de Mobilidade e Controle Urbano, João Braga, afirmou que “todas as etapas foram cumpridas, tanto jurídicas quanto de preservação, e não havia mais motivo para ser suspenso.”

No projeto, o Mirante do Cais é composto por duas torres, compartilhado por uma área de lazer. A previsão é da construção de 13 prédios. Do espaço total do terreno, 65% serão de uso público e o restante, privado.

O espaço destinado ao público é questionado por quem é contra o Novo Recife. Integrante do movimento Ocupe Estelita, Leonardo Cisneiros esteve presente no protesto realizado na segunda, em frente ao Cais José Estelita. Ele afirma que a decisão da justiça de parar a obra foi tomada corretamente.

“A suspensão para que a PCR disponibilize as licenças e para que a empreiteira siga com a demolição foi a coisa mais sensata. Sei que se trata de um plano urbanístico, mas não havia placa falando sobre a obra. Além disso, utilizaram um pedido de 2014. Teria que ser feito um novo processo, pois as coisas mudaram”, falou o militante.

Deixe uma resposta