Grupos marcam ato contra aumento das passagens nesta segunda-feira

O ato contra aumento das passagens dos ônibus está marcado para acontecer às 11h, na avenida Guararapes, em frente à Sede dos Correios

Outros atos contra o aumento da passagem já foram realizados na RMR / Foto: Júlia Aguilera/JC

Outros atos contra o aumento da passagem já foram realizados na RMR
Foto: Júlia Aguilera/JC
JC Online

Pela terceira vez neste ano, integrantes da Frente de Luta pelo Transporte Público de Pernambuco e da Articulação Recife pelo Transporte vão às ruas nesta segunda-feira (11) para realizar um protesto contra o aumento das passagens de ônibus na Região Metropolitana do Recife (RMR). O ato está marcado para acontecer às 11h, na Avenida Guararapes, em frente à Sede dos Correios, área central da capital.

Segundo organizadores, a manifestação ocorrerá por um “transporte público de qualidade, com preço justo e acessível à população” e por um “sistema que não seja pago só pela passageira e pelo passageiro!”

Último ato

No último dia 24, os mesmos integrantes realizaram um ato para protestar contra o possível aumento das passagens no Grande Recife, que deve acontecer após reunião do Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM), marcada para esta sexta-feira (25).

GALERIA DE IMAGENS

Aumento

A reunião do CSTM, que vai definir o reajuste nas passagens, acontece nesta sexta-feira (25). Enquanto o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE) defende um aumento de 16,18%, o Grande Recife Consórcio de Transporte sugere um reajuste de 7,07% no valor da passagem, em que o Anel A passaria dos atuais R$ 3,20 para R$ 3,45; o B, de R$ 4,40 para R$ 4,70; e o G, de R$ 2,10 para R$ 2,25.

Já o Anel D, cuja tarifa é R$ 3,45, deixará de existir e as quatro linhas que o compõem passarão a ter como tarifa o Anel A. A Frente de Luta pelo Transporte Público, por sua vez, sustenta que a proposta do Urbana-PE é acima do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial, que foi acumulado em 3,75% entre dezembro de 2017 e do ano passado, e está projetada em 4,01% em 2019.

fonte:NE10/JC

Deixe uma resposta